Marketing Digital: o que é, como fazer e tudo o que você precisa saber sobre o tema

Descubra o que é Marketing Digital, os tipos de estratégias que você pode utilizar e como aplicar os conceitos na prática para vender mais!

André Siqueira
André Siqueira19 de janeiro de 2024
Marketing Day 2024: Inscreva-se!

Marketing Digital é o conjunto de ações e estratégias voltadas para a promoção de uma marca no ambiente online, com o objetivo de promover produtos e serviços. Com isso, é possível usar diferentes canais digitais e métodos, que permitem a análise dos resultados em tempo real.

O que é Marketing Digital?

Você já ouviu falar que estabelecer uma presença online é fundamental para o crescimento de qualquer negócio? Pois é, com o mundo conectado que temos hoje, é praticamente impossível comercializar seus produtos ou serviços sem usar o que chamamos de Marketing Digital.

Pare para pensar um instante: como você, seus colegas, amigos e familiares costumam tomar uma decisão de compra? O fato de estarmos o tempo todo conectados mudou a maneira como nos relacionamos com as marcas e compramos. Cientes disso, as marcas também precisaram se reinventar e se adaptar a essa nova realidade.

O Marketing Digital, portanto, é entendido como o conjunto de técnicas e ferramentas que permitem promover uma marca, produto ou serviço online, em diferentes meios digitais, como sites, redes sociais, email e aplicativos móveis.

Além disso, inclui diversas frentes de atuação, como Marketing de Conteúdo, Email Marketing, redes sociais, dentre outras, o que aumenta seu alcance e influência no processo de compra dos consumidores.

Mas, apesar de parecer desafiador, o Marketing Digital é, na verdade, uma enorme oportunidade para reforçar sua marca e multiplicar suas oportunidades de negócio.

💡 Dica da RD: se você aprende melhor fazendo na prática, pode criar uma conta gratuita no RD Station Marketing e começar a criar Landing Pages, Pop-ups e Emails Marketing. Assim, você entende como executar ações de Marketing Digital. Comece o seu teste gratuito por 10 dias agora!

História do Marketing Digital

Após surgir na década de 1990, o Marketing Digital mudou a maneira como as empresas utilizam a tecnologia na promoção de seus negócios. O termo tornou-se mais popular à medida que as pessoas passaram a utilizar mais dispositivos digitais no processo de compra, seja para pesquisa sobre o produto, seja para realizar a compra em si.

Para se ter uma ideia, basta lembrar que precisaríamos recorrer a uma loja física para saber informações sobre um produto ou serviço. E, provavelmente, o vendedor iria focar apenas nos benefícios da solução, ao invés de fornecer informações isentas sobre ela.

Hoje, a internet possibilita que o consumidor tenha um papel mais ativo nesse processo. Há quase 5,16 bilhões de pessoas utilizando a internet no mundo, um crescimento de 4% em comparação ao ano anterior, segundo a pesquisa Digital 2023: Global Overview Report

Olhando especificamente para os dados da pesquisa relacionados ao Brasil, vemos que 84,3% da população brasileira está conectada. Além disso, nós passamos mais de 9 horas e 32 minutos por dia conectados e usamos uma média de 8 plataformas sociais.

Dessa forma, fica claro que o caminho para vender mais e crescer está no uso de ações online. O desafio agora é como chegar até essa audiência de maneira relevante, que chame a atenção para as ofertas que sua empresa pode realizar.

Importância do Marketing Digital

Como você percebeu até aqui, o Marketing Digital é uma importante estratégia para as empresas que querem permanecer relevantes e competitivas na era digital.

Isto porque ele permite direcionar mensagens de Marketing especificamente para o público com maior probabilidade de se interessar pelos produtos ou serviços oferecidos. E tudo isso com base em informações como demografia, interesses e comportamento. 

Também, é uma forma mais econômica e eficiente de divulgar a marca e conquistar novos clientes, em comparação com a publicidade tradicional, tornando-o acessível até para pequenas empresas.

Outro ponto está na possibilidade das marcas construírem relacionamentos mais próximos e duradouros com seus clientes. Isto porque os canais digitais facilitam a interação direta com o público, permitindo um engajamento mais significativo.

Mas, esses não são os únicos benefícios do Marketing Digital. Por meio dele, também é possível:

  • Construir e manter uma presença online.
  • Adaptar-se rapidamente às mudanças do mercado.
  • Analisar dados e medir resultados de forma detalhada.
  • Proporcionar experiências mais personalizadas para os consumidores.

Independentemente do tamanho da empresa, o meio digital oferece muitas possibilidades para que as empresas possam competir no mercado, alcançar novos clientes e crescer.

Marketing Digital x Marketing Offline ou tradicional

Ainda que o Marketing Offline continue tendo espaço, o Marketing Digital tem crescido de forma exponencial. Isso porque, além de estarmos a cada dia mais conectados, fazer Marketing na internet te dá alguns ganhos.

A seguir, confira as principais vantagens em apostar nas estratégias digitais:

Segmentação mais precisa

Ao contrário do Marketing tradicional, em que muitas vezes é impossível saber exatamente para qual audiência você está falando, o Marketing Digital permite um nível de segmentação muito mais preciso do seu público.

Isso porque é mais fácil monitorar a atividade dos usuários na internet, como hábitos de consumo, preferências e gostos pessoais, ou até mesmo sua trajetória profissional. Assim, é possível segmentar de forma bem específica as pessoas para quem você quer anunciar um produto, serviço ou conteúdo.

Por exemplo: Se você vende um software para controle de estoque, consegue segmentar seu público pela profissão. Assim, pode escolher profissionais que trabalham em ramos que lidam com estoque, como donos de pequenos mercados.

Isso permite que você personalize suas ações e campanhas de Marketing. No exemplo, se você segmentou suas ações para donos de pequenos mercados, consegue fazer anúncios e campanhas que respondem às dúvidas e dores específicas desse público.

Portanto, quem ver a sua campanha se identificará mais com a mensagem e, assim, os resultados tendem a ser melhores, já que a segmentação foi mais específica.

Mensuração dos resultados mais clara e apurada

Como dissemos acima, o Marketing Digital permite que você determine com muito mais precisão quem é sua audiência e quais são seus gostos e preferências. Da mesma forma, conseguimos monitorar os resultados das ações no detalhe.

Por exemplo: quem faz um anúncio na TV aberta a respeito de um produto pode ter dificuldade de enxergar com clareza o quão rentável foi esse investimento. Já o Marketing Digital permite que você saiba exatamente quais canais e campanhas estão dando retorno.

Nesse aspecto, as ferramentas de Analytics disponíveis para mensurar ações no ambiente digital ajudam muito na hora de acompanhar os resultados detalhados das suas estratégias online.

Preço

No decorrer do tempo, o preço para fazer Marketing tradicional acabou ficando muito alto; anúncios de televisão, rádio e mídia impressa custam caro e, se não bastasse o preço alto, a capacidade de enxergar de forma clara se aquele investimento está fazendo sentido é bem limitada.

Já o Marketing Digital, embora também exija investimento, pode ser muito mais barato do que o Marketing Offline. Não à toa, atualmente, as táticas online ocupam boa parte do planejamento de Marketing de grandes empresas.

Agilidade de implementação

A internet é, em sua essência, ágil e democrática: em poucos segundos, você tem acesso a praticamente qualquer pessoa e informação.

O mesmo acontece com o Marketing Digital: hoje, apenas com um computador ou smartphone, vontade de aprender e acesso à internet, qualquer pessoa consegue implementar técnicas e estratégias digitais em seus negócios.

Isso porque há uma infinidade de ferramentas online — muitas delas gratuitas — que possibilitam realizar e otimizar estratégias digitais. Você só precisa de um pouco de tempo e de um bom guia.

Conceitos essenciais de Marketing Digital

Antes de começarmos a falar sobre estratégias de Marketing Digital, é importante explicar quatro conceitos básicos para quem quer divulgar um negócio na internet. A partir deles, é possível compreender melhor como e porque colocar essas estratégias em prática.

Buyer persona

Um dos elementos que não podem faltar quando falamos de Marketing Digital é a definição das nossas buyer personas — também chamadas apenas de personas.

Diferentemente do público-alvo, que leva em conta um conjunto de perfis, de forma mais abrangente, a persona é a representação fictícia do seu cliente ideal.

Na prática, ela é baseada em dados reais sobre comportamento e características demográficas dos seus clientes. Mas, ela não é necessariamente classificada por sexo, idade ou região, e sim pelos seus hábitos de consumo e preferências pessoais.

Criar sua persona é importante porque, no Marketing Digital, se a gente sai falando com todo mundo dificilmente acertamos o alvo. A boa notícia é que quando delimitamos quem são nossas personas, tudo fica mais claro e personalizado.

Por isso, esse também é um passo importante para definir o tom e o estilo de seu conteúdo e os tópicos sobre os quais você deve escrever, além de entender onde seu público busca informações.

Jornada de Compras

Já a jornada de compra é o caminho que essa persona e potencial cliente percorre desde antes de se decidir a comprar até após a compra. Mapear esse caminho vai te ajudar a desenhar estratégias mais eficientes. 

Dessa forma, a jornada de compras conta com 4 etapas: 

  • Aprendizado e descoberta: quando a persona começa a ter interesse por um assunto, sem saber com clareza que tem um problema.
  • Reconhecimento do problema: quando tem mais consciência do problema e procura como resolvê-lo.
  • Consideração da solução: quando começa a avaliar produtos ou serviços que sanem essa dor.
  • Decisão de compra: quando a persona finalmente toma a atitude de comprar.

O que você precisa ter em mente é que a jornada nem sempre é linear. Isto porque não é todo mundo que vai começar no aprendizado, algumas pessoas podem chegar já na última etapa, por exemplo. Outras, podem começar no reconhecimento do problema e pular para a compra. Algumas, ainda, podem estar quase se decidindo pela compra, mas voltar para a fase de descoberta.

Por isso, ao criar ações de Marketing Digital você precisa considerar as 4 etapas simultaneamente, porque elas estão acontecendo o tempo todo nos seus canais.

Funil de Vendas

Já o funil de vendas representa a jornada do cliente e permite às empresas entender e gerenciar o processo de Vendas de forma mais eficiente. O funil também tem algumas etapas, que são as seguintes:

  • Topo do funil (TOFU): é a parte mais larga do funil, ou seja, onde entram mais pessoas. É o público que sua marca consegue atrair por meio de campanhas e ações de Marketing.
  • Meio do Funil (MOFU): das pessoas que entraram no topo do funil, ficam apenas aquelas que ainda demonstram interesse nos seus produtos e serviços, mas talvez ainda não estejam prontas para a venda.
  • Fundo do Funil (MOBU): no fundo, sobram apenas aquelas pessoas que realmente têm interesse nas suas soluções. Por isso, podemos considerar que estão mais bem informadas e preparadas para realizar a compra.

No Marketing, é muito comum falarmos em Leads que estão no topo, meio ou fundo do funil e todos eles podem e devem ser trabalhados com foco em transformá-los em clientes. E isso pode acontecer mais ou menos rápido, dependendo do estágio onde estão, como falamos no item anterior.

Flywheel de Marketing

Quando você analisa o funil de vendas da sua empresa, pode achar que o momento da compra é o fim da jornada, mas não é bem assim. Por isso, o flywheel complementa e traz mais tração para o seu funil.

Assim, flywheel de Marketing é como um volante em rotação, uma engrenagem cíclica que traz força e continuidade às vendas da empresa, porque não existe um fim. Dessa forma, ele é composto por:

  • atração;
  • engajamento;
  • experiência do usuário.

Portanto, a experiência do usuário vai fortalecer a atração, já que pode engajar novos clientes ou possibilitar recompra e upsell de quem já é cliente.

Viu só como o Marketing não tem fim? Eu, pessoalmente, acho isso ótimo porque significa que estamos sempre impulsionando os resultados da nossa empresa. E a partir de agora a gente passa para as partes mais práticas!

Como fazer Marketing Digital?

Apesar do grande número de possibilidades de aplicações do Marketing Digital, existem aquelas estratégias e técnicas que se destacam por serem usadas pela grande maioria e, normalmente, trazem resultados positivos.

Uma delas é o Inbound Marketing, estratégia usada para atrair clientes por meio de conteúdo relevante, sem gerar interrupções. Dessa forma, é possível criar conexão com seu público-alvo, oferecendo valor e soluções para seus problemas, levando-os naturalmente ao longo do funil de vendas até a compra. 

Segundo o Panorama de Marketing 2023, realizado pela RD Station, 91% dos profissionais de Marketing utilizam o Inbound Marketing, seja sozinho ou em conjunto com o Outbound — estratégia de Marketing tradicional, que aborda os clientes de forma ativa, como em ligações de Vendas.

📖 Leia também: Inbound Marketing: o que é, exemplos e tudo sobre a estratégia

No entanto, existem diversos canais e táticas que podem ser explorados dentro de uma estratégia digital de Marketing. E eles podem ser usados em conjunto, dependendo do contexto, para gerar melhores resultados. São eles:

Confira, na imagem, quais dessas estratégias são mais exploradas pelos times de Marketing, ainda segundo o Panorama de Marketing 2023:

A seguir, vamos detalhar cada uma delas, mostrando exemplos e conteúdos complementares para que você possa se aprofundar nos temas. 

Redes Sociais

A partir dos anos 2000, principalmente com a chegada do Orkut, as redes sociais se popularizaram bastante em todo o mundo como uma nova forma de socialização online. Mas, com o tempo, as mídias sociais se transformaram em um espaço muito interessante para quem procurava por novos canais para colocar o Marketing Digital em prática.

Atualmente, existem diversas vantagens que estimulam as empresas a estarem presentes nas mídias sociais. A primeira delas e principal é o número altíssimo de usuários presentes nas diferentes opções de plataforma.

Com mais de 2,95 bilhões de usuários ativos, o Facebook ainda lidera o ranking das redes mais usadas no mundo, seguido do YouTube (2,514 bilhões), WhatsApp (2 bilhões) e Instagram (2 bilhões). Mas, a cada dia surgem novas plataformas, a exemplo do TikTok, que já é a sexta rede social mais usada no mundo, com mais de 1 bilhão de usuários, segundo o Digital 2023: Global Overview Report

Estamos falando de diversas oportunidades para encontrar os seus clientes e potenciais clientes, que podem consumir conteúdo e interagir com sua marca de diversas formas.

Por isso, as mídias sociais são um importante canal de comunicação entre as empresas e seus consumidores, portanto, uma ferramenta poderosa de Marketing de Relacionamento. Além disso, é um canal que permite promover produtos e serviços, e pode ser utilizado para diversos objetivos, como:

  • reforçar uma marca;
  • educar o mercado;
  • engajar o público;
  • e vender.

📖 Leia também: Tudo o que você precisa saber sobre Redes Sociais

Como trabalhar o conteúdo nas redes sociais?

Tendo definido em quais mídias sociais a sua empresa vai estar presente e qual é seu público-alvo, existem algumas formas de utilizar as mídias sociais na sua estratégia de Marketing Digital.

Divulgar conteúdos de qualidade, por exemplo, é uma boa forma de educar o mercado e atrair visitantes para seu site, já que as mídias sociais permitem um compartilhamento mais fácil e efetivo do que outros canais.

Dessa forma, por meio de postagens em sua página, é possível direcionar o seu tráfego para páginas de conteúdo, como blogs, para páginas de produto e para Landing Pages específicas.

Uma dica importante é ficar de olho no horário das publicações e em quantas publicações são realizadas por dia. Manter um horário fixo pode ser importante para mensurar os resultados mais tarde, além de manter sempre uma cadência de postagens.

Outra forma de relacionamento com o público nas redes sociais, considerada uma tendência de Marketing, é a interação por meio de fóruns e comunidades. Assim, é possível colocar em prática uma abordagem mais próxima e segmentada com o público.

Portanto, as mídias sociais também funcionam para atrair pessoas, principalmente no topo do seu funil. Depois, a sua marca precisa levar esse público para as outras etapas do funil de vendas, até a conversão.

Como transformar o público das Redes Sociais em Leads?

Após todo esse trabalho de criar as personas ideais, verificar quais redes sociais funcionam para o seu negócio, planejar, criar e revisar o conteúdo, é fundamental que seus visitantes convertam.

Existem algumas formas de facilitar a conversão nas mídias sociais. Uma delas é a possibilidade do Lead converter em uma Landing Page através do seu perfil nas redes sociais. Essa estratégia é muito utilizada e tende a aumentar a taxa de conversão, já que o visitante não precisará preencher novamente informações que já havia dado anteriormente.

Mas, tão importante quanto fazer as publicações, é acompanhá-las e fazer análises para entender os horários e os métodos que estão ou não funcionando. O Instagram e o TikTok, por exemplo, possuem ferramentas nativas para análise de estatísticas.

Como escolher uma boa ferramenta para redes sociais

O uso de uma boa ferramenta de agendamento de publicações e monitoramento para mídias sociais é imprescindível para a execução da sua estratégia.

Por meio dela, é possível manter um calendário de publicações, que pode estar integrado com o calendário editorial do seu Blog. Também, é possível acompanhar as estatísticas das suas publicações com agilidade, uma vantagem para agir com rapidez e otimizar cada vez mais as suas publicações.

💡 Dica da RD: Para isso, você pode contar com o RD Station Marketing, que possui uma ferramenta de publicação nas redes sociais para agendar seus posts e criar um calendário completo!

Com o RD Station Marketing você pode agendar as publicações das principais redes sociais do mercado, como Instagram, LinkedIn, Twitter e Facebook.

Email Marketing

O Email Marketing representa a estratégia que utiliza o envio direto de uma mensagem por email entre uma empresa e seus contatos ou clientes. Por definição, cada email enviado a um potencial ou atual cliente pode ser considerado Email Marketing.

Geralmente, seu conteúdo é utilizado para:

  • enviar promoções;
  • distribuir conteúdos;
  • solicitar vendas ou doações;
  • construir lealdade e confiança com a marca;
  • realizar ações de branding (divulgação de marca);
  • entre outras funções.

Em comparação com outras formas de Marketing Digital, é considerada uma das estratégias mais baratas. Além disso, é um caminho para rapidamente estabelecer e comunicar o propósito da empresa com clientes ou potenciais clientes.

No entanto, o disparo de um Email Marketing deve ser feito apenas para listas de emails que foram construídas por você mesmo, tanto de clientes quanto de potenciais clientes (Leads). E você pode fazer isso, por exemplo, criando eventos digitais, materiais e até ferramentas gratuitas.

📖 Veja também: Email Marketing: da teoria à prática, tudo o que você precisa saber

De que forma o Email Marketing pode ser aplicado?

Existem diferentes usos para o Email Marketing, que devem ser escolhidos de acordo com os objetivos da estratégia e as ferramentas que se tem disponíveis.

A seguir, confira alguns dos principais tipos de Email Marketing.

Emails transacionais

Emails transacionais são gerados automaticamente em resposta a uma ação realizada por um cliente ou usuário. Esse tipo de e-mail representa uma oportunidade valiosa de comunicação direta e personalizada com os clientes.

Por isso, o propósito desse tipo de comunicação deve ser facilitar, completar, educar ou ofertar uma transação que o Lead ou cliente tenha demonstrado interesse em receber. Portanto, é a forma mais indicada para se comunicar por email.

Emails diretos

Emails diretos, ou baseados em interrupção, envolvem o envio de um email somente para comunicar uma mensagem promocional. Um exemplo é o envio em massa de anúncios ou emails de venda para um público que não realizou nenhuma ação específica, que demonstrasse seu interesse direto.

Esse tipo de envio deve ser evitado, mas, quando usado, deve acontecer de forma excepcional e segmentada. Isto porque o público pode apagar a mensagem antes mesmo de ler, ou denunciá-la como SPAM, afetando suas taxas de conversão e sua reputação nos provedores de email.

Newsletters

Já as newsletters são enviadas periodicamente para manter seus assinantes informados sobre novidades, dicas, ou conteúdo relevante relacionado a seus interesses. Assim, é uma excelente forma de manter a marca na mente dos clientes e estabelecer autoridade em um determinado tópico.

No entanto, para receber esse tipo de email, seu público precisa se inscrever na sua newsletter, demonstrando interesse em recebê-la sempre que houver uma nova edição.

E-mails de nutrição de Leads

Por fim, esses emails são projetados para nutrir relacionamentos com potenciais clientes, ou Leads, que ainda não estão prontos para fazer uma compra. Dessa forma, eles fornecem informações úteis e educativas, além de conteúdo relevante para guiar o lead ao longo do funil de vendas, de forma gradual.

Como escolher uma ferramenta de Email Marketing

Para disparar emails para um número grande de pessoas de forma segura e eficiente, você vai precisar de uma ferramenta de disparos de Email Marketing, ou email service provider (ESP).

Essa ferramenta deve conter diversas funcionalidades, que permitem a realização de ações e acompanhamento de métricas importantes para a sua estratégia. São elas:

  • Mensuração: capacidade em analisar os números de suas campanhas.
  • Medidas anti-spam: a ferramenta deve possuir o que chamamos de sistemas de autenticação (DKIM, por exemplo). Com a autenticação correta, as chances de seu email cair em caixas de SPAM é bem menor.
  • Usabilidade: suas campanhas devem ser criadas facilmente na ferramenta, de forma intuitiva, para otimizar seu tempo e aumentar a qualidade dos seus emails.
  • Automação: a ferramenta deve oferecer formas de automatizar seus emails, para que você possa desenvolver um processo de relacionamento com seus clientes em escala e de uma só vez.
  • Segmentação: deve haver a possibilidade de dividir a base de contatos em grupos menores, com base em critérios específicos, como comportamento (se a pessoa abriu o email anterior, por exemplo), profissão, tamanho da empresa e outras informações que você tem do público. Desse modo, é possível fazer disparos personalizados, com a comunicação certa para as pessoas certas.

Com essas funcionalidades, é possível ter uma gestão ativa de sua base de contatos e dos seus emails. Dessa forma, você poderá otimizar sua estratégia de Email Marketing ao longo do tempo, facilitando o trabalho.

Em média, o retorno sobre investimento (ROI) em Email Marketing é um dos maiores de todas as mídias digitais globalmente: 36 dólares para cada dólar investido.

Por isso, é importantíssimo contratar uma ferramenta capacitada de Email Marketing. Por meio dela, você poderá implementar, otimizar, analisar e operar este canal, e manter um relacionamento direto com seus contatos e clientes.

Ainda, contando com as opções de personalização e segmentação, é possível comunicar-se diferentemente com cada pessoa, de forma automatizada e em grande escala.

Nós, da RD Station, por exemplo, usamos nossa própria ferramenta para gestão desse canal, o RD Station Marketing. Por meio de funcionalidades como: automação de marketing, segmentação, gestão de Leads e Email Marketing, conseguimos gerar valor à empresa, com um custo baixo de operação.

Então, que tal saber mais sobre como usar essa ferramenta para começar a criar suas próprias ações com Email Marketing? Abaixo preparamos um passo a passo completo de como utilizar na prática e você já pode iniciar agora mesmo seu teste gratuito da ferramenta por 10 dias.

Como criar campanhas de Email Marketing com o RD Station Marketing 

Criar uma campanha e fazer envios de email para a sua base de Leads ou clientes é muito fácil se você tem uma ferramenta de Email Marketing. Nela, você consegue configurar o modelo, conteúdo e disparo em apenas alguns passos.

Acompanhe cada um para entender como é simples e já aproveite para fazer seu teste gratuito da ferramenta logo em seguida:

1. Crie o email

Primeiro, para criar um email, você vai acessar a ferramenta RD Station Marketing e selecionar Relacionar → Email no menu principal. Depois, irá clicar em Criar email, no canto superior direito.

2. Escolha o modelo

Nesta aba, escolha o modelo (layout) do seu email. No RD Station Marketing, você tem a oportunidade de optar entre os modelos Básicos ou Temáticos. Além dessas opções, você pode importar via URL pública o HTML do seu email pronto ou escrever um código HTML puro. Veja a diferença entre cada modelo:

  • Básico: modelos pré-diagramados feitos para agilizar a sua estruturação de e-mail.
  • Temáticos: são modelos prontos para usar em ocasiões específicas, como datas comemorativas.
  • Meus modelos salvos: são modelos que você já usou anteriormente para disparos e fluxos de automação.
  • Importar via URL: você pode importar um modelo de email criado externamente para utilizar na plataforma RD Station Marketing. Fique atento às dicas fornecidas nesta aba para que sua criação seja compatível com a plataforma.
  • Escrever um código HTML: nesta seção, você pode escrever ou colar um código HTML do seu modelo de email. Aqui, também é importante ficar atento às dicas fornecidas para que sua criação seja compatível com a plataforma.

Entre as opções Básico e Temático, o próprio RD Station Marketing disponibiliza dezenas de modelos prontos para você utilizar:

Depois disso, escolha a finalidade do seu email: Email marketing, Teste A/B para Assunto do email ou Modelo/Fluxo de automação. Caso seja necessário, é possível modificar a finalidade do e-mail após iniciar a edição.

3. Edite o conteúdo

Após a criação do email, você tem a liberdade de definir os destinatários, o assunto, o remetente e o conteúdo do seu envio.

Ao escolher editar o conteúdo, você poderá escolher os componentes e a aparência do seu email. Os componentes são os itens que você pode adicionar e editar no layout do seu e-mail. São eles: seção, linha, coluna, caixa, texto, divisor, imagem, botão (CTA) e consentimento.

Já na aba Email, é possível editar textos, imagens, cores e espaçamentos do seu e-mail. Além disso, é nessa etapa que você pode inserir links no seu email, enviando para o seu site ou mesmo para um conteúdo específico.

Nessa aba, você também pode inserir variáveis no corpo do seu email. Assim, é possível personalizar os seus disparos de forma automática. Para isso, basta selecionar a caixa de texto em que deseja inserir a variável e escolher a opção Adicionar variável, no menu lateral.

Após editar o conteúdo do seu email, basta salvar e avançar. Ainda, ao editar o assunto, você também pode utilizar variáveis, além de ter à sua disposição a criação de um assunto via Inteligência Artificial, com base no conteúdo que você acabou de criar!

4. Escolha os destinatários e dispare o email

Nesta etapa, você deve selecionar os leads que vão receber esse email. Você pode optar por enviar para:

  • Listas de segmentação de Leads: você pode selecionar bases específicas que já foram segmentadas dentro da plataforma. Também é possível escolher quais segmentações você quer deixar de fora do envio.
  • Toda a base de Leads.

Em ambas as opções, você verá a contagem total de Leads, além da classificação entre Leads engajados, indeterminados, desengajados e inválidos. Dessa forma, você pode fazer o envio para todos os Leads da segmentação ou apenas para aqueles que engajam com as suas comunicações.

Em seguida, após definir quem vai receber o e-mail, o assunto, o remetente e o conteúdo, você irá avançar para o Resumo. Essa etapa serve para você configurar o envio da sua campanha.

Dessa forma, é possível enviar naquele momento ou agendar o envio, podendo, inclusive, contar com o envio inteligente. Essa funcionalidade conta com Inteligência Artificial para definir o melhor dia e horário para agendar o seu disparo, de acordo com o comportamento dos seus Leads.

Ainda, nessa fase você também consegue pré-visualizar o seu email e saber como ele vai ficar. Também, é possível fazer um envio de teste, basta inserir o email ou o Lead que irá recebê-lo. 

Atenção: Por questões de boas práticas, éticas e legais, o uso do opt-out (opção de se descadastrar de uma lista de e-mails) é obrigatório. Por isso, não é possível editar/excluir a mensagem de descadastro no rodapé dos e-mails criados no RD Station Marketing.

5. Acompanhe os resultados

Após fazer o disparo do seu email, vai ser possível acompanhar todos os dados relacionados a ele:

  • Emails enviados: total de emails efetivamente enviados, ou seja, o total de Leads da campanha menos os emails descartados.
  • Emails entregues: total de emails entregues com sucesso. Emails com endereço inexistente ou caixa cheia, por exemplo, podem não receber.
  • Taxa de abertura: porcentagem de emails que foram abertos.
  • Taxa de cliques únicos: porcentagem de emails que tiveram pelo menos um de seus links clicados.
  • Leads engajados: são Leads que demonstram interesse no seu conteúdo, interagindo com aberturas e cliques em emails.
  • Leads inválidos: são Leads que não vão receber suas campanhas, porque se descadastraram ou marcaram seu email como spam, por exemplo.

Para ver esses dados, você vai acessar o menu Relacionar → Email, ir até o email que você quer analisar e selecionar a opção Estatísticas na coluna Ações.

Agora que você já sabe o passo a passo completo, pode fazer o teste gratuito de 10 dias do RD Station Marketing e entrar de vez no universo do Marketing Digital. Assim que estiver na plataforma, é só seguir as etapas e começar a gerar resultados!

Chatbot

Os chatbots também são uma possibilidade no Marketing Digital. Isto porque são capazes de melhorar a experiência do cliente, fornecer suporte instantâneo, qualificar Leads e até mesmo efetivar vendas.

Essas ferramentas automatizadas de comunicação revolucionaram a interação cliente-empresa no ambiente digital. Isto porque simulam conversas humanas e oferecem respostas rápidas e personalizadas, de forma muito natural.

Dessa forma, também é possível automatizar o atendimento nos canais digitais da sua empresa, principalmente quando o volume de interações é grande. E isso pode ser feito por meio de fluxos adaptáveis, gerados com ajuda da Inteligência Artificial.

Como usar os Chatbots na sua estratégia?

Usar chatbots no Marketing Digital é uma forma de melhorar sua eficiência operacional e economizar tempo, mas também de enriquecer a experiência do cliente.

A seguir, veja algumas formas de incluir um chatbot na sua estratégia:

  • Geração de Leads: coleta de informações, transformando visitantes em leads qualificados.
  • Segmentação: categorização de usuários, melhorando a eficiência de campanhas de Marketing segmentadas.
  • Feedback: coleta feedbacks em tempo real, permitindo que as empresas entendam melhor as necessidades e preocupações dos clientes.
  • Automação: automatização de tarefas, como responder perguntas frequentes, mantendo uma conversa fluida e natural com o público.
  • Personalização: geração de experiências exclusivas para cada usuário, elevando a satisfação do cliente e aumentando as conversões.
  • Atendimento humanizado: atendimento empático e humanizado, combinando Inteligência Artificial com uma abordagem centrada no usuário.
  • Análise de dados: coleta de dados durante as interações com usuários, oferecendo insights para o Marketing.

Implementação de Chatbots

Os chatbots podem ser classificados em diferentes tipos, dependendo da sua complexidade, funcionalidade e da tecnologia utilizada. Aqui estão os principais:

  • Baseados em regras: responde às consultas dos usuários com base em um conjunto predefinido de regras e scripts. 
  • Baseados em Inteligência Artificial: podem manter conversas mais naturais e são capazes de aprender com as interações para melhorar suas respostas.
  • Híbridos: combinam os elementos anteriores, assim, podem seguir scripts para tarefas básicas, mas também incorporam elementos de IA.

Para escolher a melhor opção e colocar essa tática em prática, você pode começar identificando as necessidades do seu público. Tenha em mente também os pontos frequentes de interação deles com seus canais digitais.

Em seguida, é preciso escolher uma plataforma de chatbot adequada às suas necessidades. Para isso, considere o canal que irá recebê-lo, como seu site ou redes sociais, o volume de interações e o comportamento do seu público nesses canais.

Você pode personalizar o chatbot para refletir o tom de voz da sua marca, mas sempre tenha certeza de que ele pode responder às perguntas comuns dos clientes de forma eficaz. Para isso, faça testes e monitore regularmente as interações, otimizando o desempenho e a precisão das respostas.

📖 Veja também: Chatbot: o que é, quais são as suas vantagens e como usar na sua empresa

Qualificação de Leads

A qualificação de leads é uma etapa crucial no funil de vendas, na qual seus Leads são avaliados para determinar se realmente têm potencial para se tornarem clientes. Assim, é possível focar seus esforços em quem realmente poderá comprar de você.

Como qualificar Leads?

Primeiro, você pode definir critérios claros, que dizem quem é um Lead qualificado para a sua empresa. Para isso, considere fatores como necessidade, orçamento, tamanho da empresa e a prontidão para compra.

Em seguida, use ferramentas de Automação de Marketing, como o RD Station Marketing, para coletar dados dos Leads e segmentá-los com base nesses critérios. Assim, você sabe quais são seus Leads mais qualificados e consegue enviar comunicações personalizadas para eles.

Uma boa forma de fazer essa segmentação é:

  • Identificar Leads com intenção clara de compra e alto potencial;
  • Reconhecer os que precisam de mais tempo e nutrição pelo Marketing;
  • Desqualificar os que têm interesse apenas no conteúdo e baixo potencial de compra.

Se você trabalha em uma empresa que tem um setor de Vendas e outro de Marketing, é possível que o Marketing gere e qualifique os Leads, mas essa qualificação continua com o time de Vendas.

No entanto, é importante iniciar a qualificação de Leads logo quando eles são gerados, ou seja, no momento da primeira conversão. Para isso, ofereça conteúdos alinhados às dores das personas, para atrair contatos mais qualificados.

Depois, é importante manter um diálogo contínuo, capaz de sanar as dúvidas e ajudar esse público a encontrar uma solução. Para isso, é possível usar conteúdo mais personalizado, já que você tem os dados desse contato. Assim, é possível levar essas pessoas pelo funil de vendas de forma natural, até a fase de compra.

Portanto, a implementação eficaz da qualificação de leads aumenta a eficiência das equipes de Vendas e Marketing, otimizando recursos e aumentando as chances de conversão.

Marketing de Conteúdo

O Marketing de Conteúdo é todo o conteúdo feito para educar, informar ou entreter um futuro cliente. A ideia consiste em informar as pessoas para fazer com que, futuramente, elas não só respeitem a sua marca e a tenham como referência, mas também se tornem clientes de sua empresa.

Mas esse conteúdo não é qualquer conteúdo: ele deve falar sobre questões relacionadas ao seu mercado e sobre as possíveis dores e dúvidas das suas personas. Veja o vídeo a seguir, que faz parte do nosso curso gratuito de Marketing Digital, e entenda o poder do conteúdo.

Pense bem: quando foi que você comprou alguma coisa sem pesquisar pelo menos uma vez na internet sobre isso, provavelmente faz tempo. Por isso, é importantíssimo que sua empresa invista em Marketing de Conteúdo: para que os consumidores a encontrem quando procurarem sobre as soluções de mercado que você oferece.

Acontece que as pessoas não procuram apenas informações sobre produtos e serviços. Elas querem, antes de tudo, resolver problemas. Assim, o produto/serviço é só a etapa final deste processo.

Por isso, não basta produzir conteúdo sobre sua empresa e sua solução: você precisa criar valor para sua audiência e responder às dúvidas e dores que eles têm antes mesmo que saibam que seu produto ou serviço é a solução que eles precisam.

Por exemplo: Se você tem um software de controle de estoque, em vez de escrever apenas sobre a sua plataforma e vantagens, pense como o consumidor chegaria até a sua solução. O que ele precisa saber antes de entender que um software de controle de estoque vai ajudá-lo? Assim, você pode criar conteúdos que deem dicas sobre organização de estoque, como calcular o estoque ou quais são as soluções que podem ajudar alguém a organizar o estoque da empresa.

Mas o que significa produzir conteúdo? Quais formatos você pode utilizar? Há muitas formas de divulgar a informação que você gera. As mais utilizadas — e mais eficientes — são:

Blogs

Um blog é uma das formas mais comuns de atração na internet. Com bons conteúdos e um bom SEO (Search Engine Optimization, ou Otimização para Mecanismos de Busca), o blog é capaz de conseguir tráfego qualificado para seu site.

Muitas vezes, o blog é a porta de entrada de futuros clientes. Portanto, é importante que o blog de sua empresa seja relevante e conquiste a atenção do usuário. Só assim ele se tornará um Lead e, futuramente, um cliente.

Aqui na RD Station, por exemplo, contamos com o portal Resultados Digitais como nossa plataforma de publicação de conteúdos.

Dessa forma, para ter sucesso com um blog, é importante que você:

  • Planeje bem suas pautas: não basta produzir conteúdo sobre temas aleatórios, ele precisa ser estratégico para gerar valor para sua audiência.
  • Tenha cadência nas postagens: é importante manter um ritmo de produção bem definido, para que seu público comece a esperar por suas postagens.
  • Otimize o texto para o Google: siga as boas práticas de SEO, como, por exemplo, definir palavras-chave relevantes para o seu mercado nas suas páginas do blog.
  • Diversifique o tipo de comunicação: a forma mais comum de conteúdo em um blog é o texto, mas nada impede que você vá além e crie também infográficos, podcasts e vídeos para o seu blog.
Vídeos

Os vídeos estão tão em alta que conteúdos nesse formato alcançam 99,6% dos brasileiros, segundo pesquisa da Kantar Ibope Media, seja streaming de filmes e séries ou vídeos curtos vistos pelo celular.

Você pode utilizar vídeos tanto como suporte para outro canal, como blog e redes sociais, como criar canais específicos para vídeos, como um canal no YouTube. Ainda, você pode combinar as duas estratégias: colocar seus vídeos no YouTube e adicioná-los em seu blog ou redes sociais.

Dessa forma, caso você opte por usar vídeos no seu blog ou redes sociais, dê preferência a formatos mais curtos e dinâmicos.

Por outro lado, se você quiser criar um canal no YouTube ou utilizar um formato de conteúdo em que o vídeo seja o meio principal, como um webinar, você pode criar vídeos mais longos e aprofundados.

Materiais Ricos

Posts de blog e vídeos são bons conteúdos para atrair visitantes, mas para uma estratégia de Marketing de Conteúdo completa, é necessário ter um conteúdo intermediário, mais aprofundado.

É essa a função de um material rico: um conteúdo educativo que agrega valor para seus visitantes. Oferecendo esse tipo de conteúdo, sua empresa pode continuar educando seus potenciais clientes e prepará-los ao longo do tempo para que, no momento certo, possa fazer a abordagem de venda.

Um dos formatos de material rico mais populares é o eBook, que serve muito bem para textos que ficam extensos demais para serem um post de blog. Mas além dos eBooks, você pode também criar:

  • kits
  • webinars
  • templates
  • ferramentas
  • infográficos

Como exemplo, você pode conferir todos esses e vários outros na página de materiais ricos da RD Station. Nela, você encontra trilhas temáticas com materiais específicos sobre cada assunto, além de um filtro para encontrar temas e formatos específicos.

Nesse sentido, você pode começar oferecendo materiais ricos que sua empresa já tem e utiliza, como planilhas, templates e pesquisas de mercado, como o Panorama de Marketing 2023. Depois, você pode produzir materiais pensados especificamente para responder dúvidas e curiosidades ou sanar dores dos seus potenciais clientes.

📖 Leia também: Marketing de Conteúdo: tudo que você precisa saber

Ferramentas para Marketing de Conteúdo

Tudo o que falamos aqui parece muita coisa para você? Calma, saiba que existem ferramentas que podem otimizar sua estratégia de Marketing de Conteúdo. Algumas delas são:

  • WordPress: é o CMS (Content Management System ou Sistema de Gerenciamento de Conteúdo) mais popular do mundo. Serve para administrar blogs, ecommerces, fóruns, sites e praticamente qualquer negócio digital. 
  • Google Analytics: é a plataforma de web analytics mais usada na internet. Permite o monitoramento de informações referentes às estatísticas do seu site e/ou blog, possibilitando o levantamento de possíveis pontos de melhoria e otimizações. 
  • RD Station Marketing: dá acesso a um relatório de análise completo para identificar quais são as páginas mais acessadas do seu site, de uma forma bem mais rápida e direta que o Google Analytics. Também permite identificar as palavras mais relevantes para focar na produção de conteúdos.

💡 Dica da RD: Teste gratuitamente o RD Station Marketing e saiba como é possível colocar em prática e automatizar a sua estratégia de Marketing de Conteúdo.

SEO e Tráfego Orgânico

SEO (Search Engine Optimization, ou Otimização para Mecanismos de Busca) são todas as estratégias e táticas que visam o aumento da exposição de um site nos motores de busca de forma orgânica. Ou seja, sem depender de mídia paga para aparecer entre as primeiras opções nos resultados.

Nesse sentido, o SEO é dividido em três tipos principais:

  • SEO on-page: é toda estratégia que você aplica dentro do seu site, que esteja relacionado ao conteúdo em si, como a inserção de palavras-chave no texto.
  • SEO off-page: é composto por estratégias relacionadas a fatores externos ao seu site, como link building e ações de relações públicas.
  • SEO técnico: como o nome diz, abrange tudo que está relacionado à parte técnica do seu site, como layout e usabilidade. 

Estima-se que o principal motor de busca do mercado, o Google, possui  mais de 200 fatores que ajudam a determinar se um site deve ou não estar nos primeiros lugares de suas páginas de resultados. Assim, o trabalho de um profissional de SEO é justamente adequar os sites a esses critérios.

Todos os dias, cerca de 8,5 bilhões de buscas são realizadas no Google. Por isso, estar posicionado para uma determinada palavra-chave muito buscada pode ser a diferença entre um site movimentado, cheio de pessoas navegando e querendo negociar, e um site impopular.

É por essa razão que as estratégias de SEO são, cada vez mais, usadas pela maioria das empresas que prezam por um bom desempenho no Marketing Digital.

📖 Leia também: SEO: o que é e tudo sobre Search Engine Optimization

Como escolher uma ferramenta de SEO?

Como o SEO abrange um grande universo de técnicas e métricas de monitoramento, a falta das ferramentas certas para colocar essa estratégia em prática torna o trabalho muito mais complicado.

Por isso, existem ferramentas de SEO específicas para cada etapa do trabalho. No entanto, algumas ferramentas são mais abrangentes e podem servir o profissional de SEO em todas as etapas.

Por isso, a dica é contar com o RD Station Marketing para utilizar a funcionalidade Otimização de Página. Ela funciona assim: ao adicionar uma palavra-chave específica, a ferramenta gera um relatório de SEO com uma nota baseada em pontos críticos, importantes, intermediários e mínimos.

Em seguida, a partir dessa nota, a ferramenta especifica quais foram os itens relacionados a cada critério, que contribuíram para a sua nota final. Além disso, também indica como é possível resolver os principais problemas encontrados.

💡 Dica da RD: você pode testar gratuitamente o RD Station Marketing e começar a colocar em prática sua estratégia de SEO para atrair mais clientes!

Mídia Paga e links patrocinados

Outra estratégia para atingir mais pessoas e vender mais é usar canais de mídia paga. Por meio deles, você consegue investir um determinado valor e anunciar em redes sociais, sites e mecanismos de busca.

Por meio dessa estratégia, é possível segmentar o público que vai ver seus anúncios. No entanto, o valor a ser investido pode variar muito, a depender da plataforma que você vai escolher e da quantidade de pessoas anunciado para a mesma palavra-chave.

Na prática, essas são as formas comuns de mídia paga:

  • Anúncio na rede de pesquisa: aparecem nos resultados de busca do Google;
  • Anúncio em Display: banner em sites que fazem parte da rede de conteúdo do Google, como sites de notícias;
  • Social Ads: anúncios em redes sociais, como Instagram e Linkedin.

Dentro da mídia paga, um formato que se destaca são os Links Patrocinados, também conhecido como PPC ou Pay Per Click. Esse tipo de mídia paga abrange os anúncios na rede de pesquisa e em display, gerenciados pelo Google.

Nesse sentido, para aparecer para o usuário, esses anúncios precisam ter relevância para a palavra-chave que foi utilizada na procura ou para um contexto específico, escolhido no momento da segmentação.

Exemplo: se você tem uma empresa de limpeza de estofados em São Paulo e o usuário pesquisa por “limpeza de sofá são paulo”, você pode anunciar e aparecer no topo dos resultados de busca para essa pesquisa. E se você também anunciar na rede de display, esse usuário pode continuar vendo seus anúncios em outros sites.

Importância da Mídia Paga no Marketing Digital

A mídia paga é uma das formas de atrair visitantes qualificados e despertar interesse nos seus produtos e serviços. No entanto, exige um certo conhecimento para operar as ferramentas de gestão de anúncios, além de verba para investir em uma campanha que seja efetiva e tenha um bom custo-benefício.

Mas afinal, será que vale a pena usar estratégias de mídia paga? A resposta é: depende do seu objetivo. Se você tem uma marca nova ou precisa conquistar resultados rápidos, investir em mídia paga pode ser uma ótima solução.

No entanto, você não pode depender apenas dessa estratégia para continuar crescendo, até porque os valores de mídia paga costumam aumentar frequentemente. Além disso, você fica refém de plataformas gerenciadas por outras empresas — e as regras do jogo podem mudar a qualquer momento.

Ainda, a chegada da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e o fim dos cookies de terceiros, anunciado pelo Google, podem limitar a eficiência e os resultados das suas campanhas de mídia paga. 

Portanto, analise qual é o melhor equilíbrio para a sua estratégia e a possibilidade de aumentar o investimento em resultados orgânicos à medida que a empresa for crescendo. Além disso, dependendo do volume de investimento e campanhas, contar com uma agência para operar as ferramentas e criar esses anúncios pode ser uma boa opção.

📖 Leia também: Conheça os principais canais de mídia paga em que você pode investir

Otimização de Conversão (CRO)

Chamamos de CRO (Conversion Rate Optimization, ou Otimização de Conversão), todo esforço para aumentar as taxas de conversão para determinado objetivo, como clicar em um CTA. Ou seja, o objetivo dessa estratégia é diminuir o atrito da experiência e aumentar a proporção de pessoas que realizam a ação desejada.

No Marketing Digital, o que precisamos é que o Lead faça uma série de ações, que irão indicar em qual etapa do funil de Vendas ele está. Nesse contexto, chamamos de taxa de conversão a porcentagem resultante da divisão de Leads que realizaram a ação desejada pelo total de Leads que visitaram a página ou viram o email, por exemplo.

Portanto, o CRO irá atuar para maximizar as taxas de conversão, a fim de fazer com que uma proporção maior dos seus visitantes realize as ações que você deseja.

Como trabalhar o CRO na prática?

Apesar de ser um trabalho bastante exploratório, trabalhar com CRO quase sempre passa por algumas metodologias e técnicas. Na sequência, confira algumas das principais técnicas para otimizar as taxas de conversão de sites e gerar mais resultados:

Testes A/B

Os testes A/B são a forma mais simples e efetiva de comprovar, entre duas versões de um material, qual deles é mais eficiente para o seu objetivo. Pode ser uma Landing Page, um email ou até a imagem de um anúncio.

Dessa forma, o método consiste em distribuir o tráfego de determinada página, por exemplo, ao meio e de forma aleatória. Assim, 50% dos visitantes verão uma versão da página e os outros 50%, a outra versão.

No fim, você saberá qual dessas versões foi melhor aceita por seu público e gerou mais conversões. Assim, você pode usar a versão que teve o melhor resultado, ou executar outros testes — sempre um por vez, para garantir a confiabilidade do resultado. 

💡 Dica da RD: no RD Station Marketing, você tem a possibilidade de fazer testes A/B para Email, Automação e Landing Pages, tudo na mesma ferramenta. Faça um teste grátis para começar agora e entender como colocar em prática!

Heatmaps e gravação de sessão

Os Heatmaps são ferramentas de mapa de calor, que vão indicar onde os Leads mais passaram o mouse e clicaram na sua página. Já a gravação de sessão é feita quando o usuário é convidado para interagir com uma página — ou outro ativo de Marketing — enquanto um analista grava a sessão.

Dessa forma, é possível entender quais elementos recebem mais atenção, quais botões recebem mais cliques e até quais itens são ignorados pelos usuários.

Mapa de Calor

Use essas informações para entender o comportamento do consumidor e porque algum elemento da sua página está construindo ou destruindo seus resultados em termos de conversão.

Comece a fazer Marketing Digital na prática

Se você chegou até aqui, provavelmente já consegue colocar em prática as principais estratégias de Marketing Digital. Começar a executar é uma boa forma de reforçar novos conhecimentos e o mesmo vale aqui.

Para isso, você pode fazer o teste gratuito do RD Station Marketing e aproveitar as funcionalidades que a ferramenta oferece por 10 dias, sem pagar nada. Crie a sua conta e envie emails automatizados, crie Landing Pages e pop-ups, segmente a sua audiência e muito mais!

Como fazer um planejamento de Marketing Digital?

Fazer um investimento em Marketing Digital realmente pode ser algo que vai salvar os números do seu negócio. Porém, executar as diversas ações que constituem essa metodologia de forma avulsa, sem planejamento estratégico, também pode ser um tiro no pé.

Por isso, há uma série de etapas que devem ser consideradas na hora de planejar o Marketing Digital da sua empresa. São elas que garantirão o máximo de resultados de cada ação.

Por isso, entenda quais são os passos para um planejamento de sucesso:

1. Faça um relatório de diagnóstico

Antes de qualquer coisa, tenha em mente que, para determinar onde se quer ir, é preciso saber onde você está. Por meio do relatório de diagnóstico, você conseguirá enxergar de forma clara suas principais forças, fraquezas e oportunidades.

Possuindo essas informações, você será capaz de determinar com mais eficiência seus objetivos e partir para os passos seguintes.

2. Faça um estudo de personas

À primeira vista, muitos empreendedores que desejam investir em Marketing Digital acham desnecessário um estudo de personas, alegando que já sabem bastante sobre seu público. No entanto, aqui vale aquela frase: conhecimento nunca é demais!

Mas, fato é que você precisa conhecer seu público-alvo com profundidade. Isso pode proporcionar insights que farão total diferença nos seus resultados. Assim, esse estudo serve tanto para encontrar novas informações cruciais, quanto para confirmar (ou não) aquelas que você já tem.

Dessa forma, você conseguirá adaptar as soluções que oferece para sua audiência, além de planejar todas as suas ações de Marketing Digital de forma direcionada, criando estratégias mais adequadas para seu público.

Afinal de contas, para produzir o conteúdo que vai conduzir seu público-alvo pela jornada de compra, você deverá criar esse material com base nas características e comportamentos das suas personas.

3. Defina suas metas

Com a visão clara de quem é seu público-alvo e de quais são seus atuais desafios, você determina suas metas. Por isso, é importante que você estabeleça alguns objetivos, para que depois você seja capaz de dizer se seu planejamento de Marketing Digital deu certo ou não.

Se você está começando suas ações digitais e seu site ainda não possui muito tráfego, pode determinar como meta o aumento de tráfego no seu site, seja em porcentagem, seja em números absolutos. A partir daí, você pode começar a traçar objetivos mais específicos, como criar e publicar conteúdo no seu blog pelo menos uma vez por semana.

Por outro lado, caso você já tenha uma presença digital um pouco mais desenvolvida, mas sua dor é a geração de Leads, você pode determinar como meta o aumento na geração de Leads. Por exemplo, você pode oferecer materiais educativos em Landing Pages, para que os interessados tenham que deixar seus contatos para baixar o material, tornando-se Leads.

Agora, caso você já tenha visitantes e Leads, mas seu problema é se relacionar com eles, você pode focar em objetivos como o envio de Emails Marketing e a criação de fluxos de Automação de Marketing. Uma vez feito isso, você poderá avaliar qual o resultado dessas ações, por meio da análise de dados como taxa de abertura e cliques em emails.

4. Liste os recursos necessários

Depois de ter muito claro quais são seus objetivos e metas, é hora de traçar o caminho necessário para que você alcance todos eles, certo?

Para isso, liste todas as tarefas que precisam ser feitas para que o objetivo seja atingido. Isso inclui recursos como:

  • Mão de obra
  • Orçamento para mídia
  • Ferramentas e softwares
  • Agências e prestadores de serviços

Depois de ter tudo isso anotado, você terá bastante claro qual é o investimento que precisa fazer. Assim, é possível priorizar as iniciativas que trarão mais resultados e aquelas que podem aguardar até que você tenha mais dinheiro para investir.

5. Faça um cronograma

Fazer um cronograma é importante para que você tenha prazos bem definidos e evite atrasos. Também, é um bom exercício para estimar quanto tempo e esforço será gasto em cada tarefa.

Além disso, fazer o acompanhamento periódico do cronograma pode ser bastante útil para manter uma consistência saudável de todo seu plano. E isto vale, principalmente, se você conta com mais pessoas para executar sua estratégia de Marketing Digital.

6. Comece a monitorar

Dê preferência para as ações que podem ter seu resultado 100% monitorado. Assim, você consegue entender se essas ações estão trazendo resultados positivos e consegue utilizá-los com mais eficiência.

Dessa forma, após o término de cada tarefa importante, faça o exercício de avaliar todos os números e identificar pontos de melhorias no processo ou tarefa para fazer correções. Observe também os erros e acertos, para evitá-los ou replicá-los no futuro.

📖 Leia também: Plano de Marketing e Vendas: o guia completo para o seu planejamento de 2024

Atualize seus conhecimentos no Marketing Day 2024!

Quer começar a fazer hoje o Marketing de amanhã? A 6ª edição do Marketing Day está marcada para o dia 8 de maio e você pode se inscrever gratuitamente agora!

O evento é online e vai trazer tudo o que você precisa saber sobre Marketing Digital em 2024, com especialistas e grandes nomes do setor. Você vai aprender mais sobre:

  • Papel da IA no Marketing
  • Nova jornada de compra do consumidor
  • Novas oportunidades de Digital Commerce
  • Ações de Marketing e Vendas guiadas por dados

Além de adquirir novos conhecimentos para transformar seu planejamento de Marketing, ao se inscrever, você também ganha desconto nos ingressos do RD Summit 2024!

16 estratégias de Marketing Digital para implementar com pouco esforço

Quando se fala em Marketing Digital é natural que os gestores de empresas imaginem que apenas estratégias muito complexas trazem resultados.

E é verdade que os benefícios principais demoram um pouco a aparecer. No entanto, existem vários ajustes feitos com facilidade — e pouco investimento de tempo e recursos — que trazem grandes melhorias.

Por isso, confira 20 ações simples, que podem trazer vantagens para a sua estratégia. Desde melhorar a indexação das páginas, até impulsionar o tráfego para seu site ou incrementar suas taxas de conversão.

Ações em blogs e sites

1. Baseie-se nas palavras-chave mais buscadas na hora de escrever títulos

Como o page title (a frase que aparece na aba do navegador) é muito valorizado pelo Google, é importante que aborde os termos que sua empresa esteja mirando para ficar bem posicionada nas buscas.

2. Inclua CTAs no site

Impulsione suas conversões incluindo CTAs (Calls-to-Action) no seu site, de acordo com o objetivo de cada página. Insira na home, em cada post publicado e até mesmo nos materiais que sua empresa disponibiliza para download.

Confira também 15 exemplos de Call-to-Action de sucesso para inspirar suas estratégias de Marketing Digital.

3. Use imagens atraentes

Procure por boas imagens relacionadas ao tema para incluir em seus posts e nos materiais para download. Elas vão torná-los mais atrativos e garantem maior destaque nas mídias sociais ao compartilhar a URL.

Não sabe onde encontrá-las? Então confira o post 56 bancos de imagens gratuitos e pagos.

4. Use o atributo ALT nas imagens

Essa é uma dica super fácil de ser implementada e que ajuda o Google a entender melhor seu conteúdo. Ao incluir as imagens nos posts, preencha o atributo alt, informando do que ela trata. Esse indicativo também funciona como uma legenda quando a imagem não é exibida.

Os buscadores leem esse atributo como parte do conteúdo, o que auxilia no posicionamento de sua página — se a descrição da imagem estiver relacionada com ele, claro.

5. Divulgue seus links em assinaturas de email

Inclua os links do site e das principais redes sociais da sua empresa na sua assinatura de email e na dos seus funcionários, caso tenha.

Essa prática vai te ajudar a divulgar a sua empresa, já que as pessoas que se relacionam com você por email irão visualizar seus principais canais de Marketing Digital.

6. Insira botões para compartilhamento

Se sua empresa utiliza o WordPress, pode facilmente incluir um widget de compartilhamento em redes sociais, como esse que temos aqui ao lado direito da página. Assim, seu público pode compartilhar os seus conteúdos com facilidade.

No WordPress, há vários plugins gratuitos que podem ser instalados e inseridos no seu blog.

7. Cuidado com conteúdos duplicados

Confira se o site da sua empresa tem conteúdo duplicado nos endereços com www e sem www. Caso os dois endereços estejam coexistindo sem redirecionamento, podem estar diluindo sua autoridade. Para resolver o problema, eles devem ser unificados por meio do Redirect 301.

Dúvidas? Então confira o post A verdade sobre conteúdo duplicado e SEO.

Ações nas redes sociais

8. Use link na bio das Redes Sociais

Até hoje, é comum ler posts com frases como “para saber mais, clique no link da bio”. Isto porque algumas redes sociais, como o Instagram e o TikTok, não permitem inserir links clicáveis em suas publicações. Assim, o link na bio é uma boa forma para gerar Leads com nessas redes.

Nesse caso, você tira o usuário da rede social e pode levá-lo para outro site, como uma Landing Page, por exemplo. No RD Station Marketing, você também consegue criar um link para adicionar na sua bio, com botões ou imagens direcionando para as páginas que você quer divulgar.

9. Faça parcerias com influenciadores

As Redes Sociais contam com influenciadores digitais com milhares de seguidores, ou mesmo perfis com menos seguidores, mas que atingem um nicho específico de mercado com eficiência. Isso significa que o alcance desses perfis pode ser muito melhor do que o seu, representando uma ótima estratégia de divulgação para sua marca.

Você pode procurar algumas parcerias com influenciadores da sua região, que atingem o público-alvo que você quer impactar. O importante é encontrar parcerias que façam sentido para o seu negócio.

Ações no Email Marketing

10. Use template HTML em seus emails

Um erro de várias empresas é utilizar uma única imagem no corpo do email para divulgar uma campanha. Um bom motivo para você desistir dessa ideia é que a maioria dos serviços de email podem bloquear esses envios por padrão de segurança.

Ou seja, o usuário só vai ver a imagem caso habilite a visualização no momento de abertura do email. Mas, certamente, muitos vão ignorar sua mensagem antes de fazer isso.

11. Segmente seus emails

Hoje em dia, nada é mais importante em Email Marketing do que entregar ao destinatário o conteúdo que ela tenha interesse em consumir.

Dessa forma, ao investir na segmentação dos seus contatos, você consegue separar os seus contatos por grupos de interesse. E o melhor: o RD Station Marketing oferece a função de segmentação de Leads. Faça um teste gratuito e entenda como fazer envios segmentados, de acordo com as informações que você tem.

12. Envie ofertas em um email exclusivo

Sempre que publicar um novo material para download, seja um eBook, webinar ou planilha, envie para sua base um email com o convite para acessar o conteúdo.

Essa prática gera muito mais resultados do que só enviar, por exemplo, em uma newsletter, recheada de outros materiais.

13. Confira os melhores dias e horários de envio

É claro que algumas informações ajudam a criar estratégias certeiras quando falamos de Marketing Digital, não é mesmo? Uma delas é a definição do melhor momento para enviar Email Marketing.

Nesse caso, você já pode conferir os melhores dias e horários para envio de emails aqui, em um estudo completo que realizamos com base em 2,2 milhões de campanhas e 24,6 bilhões de emails enviados. A partir dessa informação, poderá usar a estratégia de Email Marketing para fazer a entrega no momento certo.

Ações de conversão

14. Crie Landing Pages

Crie Landing Pages como porta de acesso ao seu conteúdo rico ou mesmo para a solicitação de testes ou agendamento de conversas com um consultor. Essa é a nossa principal dica para conduzir seus visitantes ao longo do processo de conversão, até que eles se tornem clientes.

No RD Station Marketing, é possível criar e editar vários modelos de páginas de conversão. Disponibilizamos layouts prontos e você também pode contar com a ajuda da Inteligência Artificial para criar o texto da sua Landing Page. Garanta o seu teste grátis!

15. Simplifique o formulário de conversão

Talvez você não saiba, mas o número de campos que o usuário precisa preencher em um formulário pode afetar a quantidade de pessoas que convertem. Assim, ao simplificar o seu formulário, e deixá-lo apenas com os campos essenciais, o número de conversões de visitantes em Leads pode aumentar.

Por isso, verifique quais informações são realmente essenciais para que sua equipe possa montar o perfil do Lead e abordá-lo futuramente. Além disso, ferramentas como o RD Station Marketing oferecem a opção de formulários inteligentes. Isto é, você irá perguntar apenas os dados que ainda não tem de cada contato.

Assim, toda vez que seu Lead preencher um formulário de Landing Page, você mantém seus formulários curtos e coleta apenas as novas informações.

16. Insira pop-ups no seu site

Escolha páginas estratégicas de seu site para inserir um pop-up e gerar mais Leads para seu negócio. Mas não esqueça de oferecer um benefício, como o download de um material, cupom de desconto, consultoria gratuita ou mesmo uma assinatura de newsletter.

Essa prática pode te ajudar a aumentar as conversões e gerar mais vendas, já que chama a atenção dos seus visitantes.

No RD Station Marketing, você consegue criar pop-ups personalizáveis. Além disso, você tem acesso a modelos prontos e pode contar com o apoio da Inteligência Artificial para escrever um bom CTA.

Métricas de Marketing Digital

Imagine que você já está criando conteúdo relevante para o seu público e se relacionando com ele. Mas, como saber se sua estratégia está tendo resultado?

Para isso, você pode acompanhar algumas métricas de Marketing. Elas servem para mensurar a performance das suas ações, possibilitando a sugestão de melhorias de forma estratégica.

Existem muitas outras, mas essas são as métricas que julgamos mais importantes:

Custo de Aquisição de Clientes (CAC)

O CAC é o investimento médio em esforços diretos para conquistar um cliente. Na grande maioria das empresas, as áreas que atuam diretamente nesse processo são Marketing e Vendas. Mas, dependendo do negócio, mais áreas podem ser envolvidas.

Assim, se os seus investimentos diretos em aquisição de clientes somam R$10.000,00 no mês e, com isso, você conseguiu 20 clientes, o seu CAC será de R$500,00.

Vale mencionar, também, que o cálculo é feito sempre considerando os investimentos e novos clientes adquiridos no mesmo período. O CAC é calculado mês a mês, mas é importante considerar algumas variações, que podem acontecer quando você contrata mais vendedores, por exemplo.

Custo por Lead (CPL) ou Custo por Lead Qualificado

O CPL nos permite saber o valor de cada Lead gerado. Assim, dividindo a quantidade investida com o trabalho de Marketing Digital (R$) pelo número de Leads gerados, oriundos das diversas fontes de tráfego, encontramos o CPL.

Segundo pesquisas, estratégias de Inbound Marketing, que envolve blogs, SEO e mídias sociais, geram um CPL 61% menor do que os Leads gerados por técnicas tradicionais de Marketing. Por isso, medir e comparar esse valor pode ser uma excelente cartada para ganhar mais credibilidade (e investimentos) dentro da empresa.

Para ir além, é possível pensar de forma um pouco mais avançada e medir, dentre os Leads gerados, quantos são qualificados e realmente vão ser atendidos por vendedores.

Custo por Aquisição (CPA)

Outra métrica que deve ser avaliada é o Custo por Aquisição. Neste caso, o fator considerado é o valor do investimento, que será dividido pelo número de vendas efetivas (aquisição do produto/serviço).

O que costuma dar aval para a área de Marketing Digital continuar crescendo e recebendo investimento é justamente ter um custo por aquisição que seja lucrativo perto do preço médio de venda dos produtos/serviços. Por isso, apesar de depender também do time de vendas, é um indicador essencial para o Marketing.

Retorno sobre investimento (ROI)

O ROI (Return On Investment, ou Retorno Sobre Investimento) consiste em uma métrica utilizada para mensurar o rendimento obtido com uma dada quantia de recursos.

Portanto, o ROI é um dos muitos indicadores de desempenho existentes para avaliar o chamado custo-benefício com relação aos investimentos e pode ser calculado da seguinte forma::

Nesse caso, somam-se todas as vendas originadas pelo canal de Marketing Digital e subtraem-se todos os gastos efetuados para isso. No caso de vendas pelo modelo de assinatura, é interessante colocar aqui uma expectativa média de quanto tempo o cliente fica e quanto de receita ele deve gerar, para que o ROI reflita de fato a realidade.

Lifetime Value (LTV)

O LTV é considerado uma das métricas mais importantes em empresas que oferecem contrato de serviço de uso (modelo de assinatura). Isto porque mostra o potencial de lucratividade do negócio, ou seja, quanto é possível ganhar por cada cliente em um determinado período de tempo.

Por exemplo: se o ticket médio da mensalidade cobrada é de R$100,00 e o cliente ideal ficar na base durante 36 meses (ou 3 anos), o LTV do seu cliente é de R$3.600,00.

Se a empresa está apenas começando, esse será um dado difícil de calcular, mas não pode ser ignorado, já que é um dos principais apoios para os planos financeiros.

Ainda, ao compararmos o LTV com o CAC, é possível saber se o negócio está saudável. Para isso, o LTV deve ser pelo menos 3 vezes maior que o CAC. Além disso, o LTV permite a projeção de rendimentos futuros: ao saber que um número X de clientes vai entrar na base, a empresa também pode calcular um faturamento Y nos meses seguintes.

📖 Leia também: Métricas de marketing: o que são, quais são as mais relevantes e quais realmente medem o sucesso do negócio

Ferramentas de Marketing Digital

As ferramentas de Marketing Digital são soluções que as empresas têm procurado para reduzir o seu custo de aquisição de clientes (CAC). Seja na implementação de estratégias avançadas ou para a execução das iniciativas mais básicas, elas já vêm sendo usadas pelos mais diversos tipos de negócios.

A seguir, conheça os principais tipos de ferramentas de Marketing Digital e entenda como elas podem otimizar as ações da sua empresa nos canais online.

1. Ferramenta de Automação de Marketing

As ferramentas de Automação de Marketing reúnem diversas funcionalidades, mas a principal delas é a criação de fluxos de automação de email. Dessa forma, facilitam a gestão de Leads, mesmo em larga escala.

Isso significa que a partir de ações específicas, como abrir um email, realizar uma conversão ou até mesmo possuir um perfil específico, você consegue manter uma comunicação personalizada e pré-definida. Dá só uma olhada em como funciona esse fluxo:

Com isso em mãos, sua empresa consegue aumentar o volume de Leads mais preparados para uma abordagem de vendas e também promover o ganho de produtividade da equipe.

A ferramenta dessa categoria e líder de mercado, que possui a preferência dos profissionais da área de Marketing, é o RD Station Marketing, solução tudo em um que permite guiar Leads até a compra com jornadas personalizadas.

Então que tal colocar suas automações em prática com a ferramenta certa? Comece logo abaixo seu teste gratuito por 10 dias do RD Station Marketing!

2. Software de Email Marketing

Como já vimos, o Email Marketing é um dos principais canais de relacionamento com os Leads e clientes. Por isso, ferramentas que permitem fazer a criação e disparo de emails são indicadas para empresas de todos os portes e segmentos.

Depois que o visitante tem o primeiro contato com sua empresa e se transforma em Lead, é por meio do Email Marketing que você vai se comunicar com ele, oferecendo mais conteúdo até que ele esteja pronto para ser abordado.

Segundo a lista de melhores softwares para Email Marketing da B2B Stack, o RD Station Marketing aparece como ferramenta líder na categoria. Um dos diferenciais da ferramenta é que ela permite acompanhar, comparar e melhorar a performance das campanhas de email com relatórios de engajamento completos como esse:

3. Ferramenta para construção de Landing Pages

É difícil falar de bons resultados com Marketing Digital sem falar dessa categoria de ferramenta. Afinal, as Landing Pages são páginas que têm como objetivo receber visitantes e convertê-los em Leads. E é a partir dessa conversão que o visitante é transformado em contato ou em oportunidade de negócio.

Por meio delas, conseguimos oferecer materiais relevantes, que convençam o visitante a oferecer informações, como nome, email e empresa, para receber o acesso logo na sequência. Com isso, é possível estabelecer um relacionamento com o Lead, enviando a ele mais conteúdos de acordo com seu perfil e suas necessidades.

Quando olhamos para os melhores softwares para Construtores de Landing Page, o RD Station Marketing aparece mais uma vez na liderança. Com ele, você cria páginas personalizadas para divulgar suas melhores ofertas em poucos minutos.

4. Ferramenta de Marketing Digital para SEO

As ferramentas de SEO, focadas na otimização para mecanismos de busca, visam auxiliar as empresas a melhorarem seu ranqueamento nos buscadores, principalmente no Google.

Essas plataformas apresentam as mais variadas funções, como a pesquisa de palavras-chave, otimização de websites por meio de plugins e análises.

São alguns exemplos de plataformas especializadas: SEMrush, Ahrefs e Moz Pro. No entanto, o RD Station Marketing também oferece algumas funcionalidades para SEO: Painel de Palavras-Chave e relatórios completos de Otimização de Páginas, além de possibilitar a automação da sua estratégia de Marketing Digital.

5. Plataforma de Analytics

Mensurar os resultados de suas ações é essencial para obter os melhores dados do seu negócio. E isso pode ser feito por meio da utilização das plataformas de Analytics, que permitem avaliar e compreender o engajamento de visitantes com o seu site.

Aqui, o Google Analytics é a ferramenta preferida da grande maioria dos profissionais de Marketing. Isto porque permite avaliar diferentes tipos de resultados, desde o número de acessos em cada página do site, até o tempo médio que cada visitante fica na página.

6. Sistema de Gerenciamento de Conteúdos (CMS)

Para gerenciar a publicação dos conteúdos em sites e blogs, é indispensável contar com a ajuda de um CMS (Content Management System, ou Sistema de Gerenciamento de Conteúdos).

Essas ferramentas permitem criar, editar e publicar todo tipo de conteúdo de forma prática e rápida. Nesse caso, a ferramenta que mais se destaca é o WordPress, usada por milhões de sites ao redor do mundo.

📖 Veja também: Ferramentas de IA: quando e como usar na sua estratégia de Marketing e Vendas

Inbound Marketing: um jeito eficaz de fazer Marketing Digital

O termo Inbound Marketing significa Marketing de atração e consiste em um conjunto de estratégias para atrair, voluntariamente, os consumidores para o site de uma empresa. Ao contrário do Marketing tradicional, baseia-se no relacionamento com o consumidor em vez de propagandas e interrupções.

A principal diferença entre o Marketing tradicional – também chamado de Outbound Marketing – e o Inbound é que, no segundo, quem procura a empresa é o cliente e não o contrário.

Assim, são realizadas ações com o objetivo de atrair o potencial cliente para seu blog ou site e, a partir dessa atração, é feito todo um trabalho de relacionamento com essa pessoa.

Esse relacionamento é desempenhado por meio de conteúdo personalizado e autoral. Esse conteúdo é uma forma de:

  • Transformar sua empresa em referência em temas relacionados a seu mercado.
  • Educar a audiência e potenciais clientes sobre seu segmento.
  • Influenciar a decisão de compra de futuros clientes.

Por que é importante trabalhar com Inbound Marketing?

Uma vez que o processo de compra está mudando, o Inbound Marketing é uma estratégia cada vez mais importante para atrair, converter e fidelizar clientes.

Isto porque reverte a lógica das empresas irem atrás dos clientes, e faz com que os clientes procurem as empresas, criando um relacionamento mais próximo e duradouro.

E se pensarmos em um contexto em que as pessoas têm o poder de buscar e encontrar as informações que precisam, o Inbound Marketing está cada vez mais presente. Afinal, não basta reproduzir o modelo de Marketing tradicional nos meios online, é preciso repensar a maneira como o cliente consome na internet.

Entenda a metodologia do Inbound Marketing

Como dissemos, o principal objetivo do Inbound Marketing é atrair e fidelizar possíveis clientes para sua empresa. Mas para que isso funcione, é necessário utilizar uma metodologia, que é o diferencial do Inbound.

A seguir, confira com mais profundidade os pilares dessa metodologia:

Atrair

O pilar inicial do Inbound Marketing é a atração, afinal, um site sem visitas não gera Leads. E sem os Leads não há vendas. Assim, em vez de procurar pessoas que poderiam ter interesse em determinado negócio ou mercado, a empresa foca na construção de conteúdo de valor para atrair seu público-alvo.

Dessa forma, estará ajudando as pessoas a solucionar suas dores, despertando interesse espontâneo pelo assunto. E o resultado disso é um público muito mais engajado e propenso a realmente consumir o produto.

Na prática, existem muitas formas atrair o público por meio desses conteúdos, como por exemplo:

  • Otimizar esse conteúdo para os mecanismos de busca com a ajuda do SEO.
  • Fazer anúncios pagos desse conteúdo para atingir mais pessoas.
  • Divulgar os conteúdos nas redes sociais da empresa.

Converter

Quando falamos de conversão, estamos nos referindo à ação do usuário de passar suas informações, como nome e email, em troca de uma recompensa ou benefício, como uma oferta de um material rico. Assim, é possível convertê-los em Leads.

Nesse sentido, uma das principais formas de converter seu público é disponibilizar materiais ou ofertas em Landing Pages, ou seja, páginas que são otimizadas para a conversão.

Geralmente, essas páginas possuem uma explicação breve sobre o que é o material ou oferta e as vantagens de obtê-la. Também, trazem um formulário destacado, que o visitante deve preencher para se tornar um Lead.

Dessa forma, entre as ofertas que você pode gerar para obter Leads, estão:

  • Ofertas indiretas: materiais ricos, como eBooks, webinars e ferramentas. Geralmente, são focados em estágios menos avançados da jornada de compra, com o objetivo de educar e resolver problemas específicos dos Leads.
  • Ofertas diretas: aquelas que estão mais diretamente voltadas à compra, como pedidos de orçamento, demonstrações de software e testes gratuitos.

Relacionar

Nem todos os Leads gerados já estão prontos para comprar. Calcula-se que apenas 3% do seu mercado em potencial está buscando por uma solução.

Por isso, é preciso continuar educando seu Lead e é aí que entra a etapa de relacionamento no Inbound Marketing. Nela, identificamos os estágios em que os Leads se encontram e fazemos eles avançarem na jornada. Dessa forma, aceleramos seu processo de compra.

Mas, para o relacionamento ocorrer de forma dinâmica e não esfriar, é necessário automatizar todo o processo. Dessa forma, você vai nutrindo seus Leads por email, com conteúdo e de forma automática, até que eles estejam maduros o suficiente para tomar a decisão de compra.

Portanto, por meio da automação de Marketing, esse processo ocorre mais rapidamente e em escala. Assim, é possível aumentar as vendas, melhorar a retenção de clientes e diminuir os custos de aquisição.

Vender

No final das contas, todo o trabalho de geração e relacionamento com os Leads tem como objetivo gerar oportunidades de negócio para a sua empresa.

Em alguns casos, o processo de vendas acontece dentro do próprio site. Em outros, o vendedor entra em contato com o potencial cliente. Mas, de maneira geral, quanto mais complexo o produto, mais o processo de vendas tende a ser consultivo.

Essa mudança de paradigmas, em que o Lead agora percorre parte da jornada de compra antes de entrar em contato com o vendedor, traz diversas implicações que estão transformando o mundo das Vendas.

Dessa forma, esses conceitos passam a fazer parte da rotina dos times de vendas:

  • Lead Scoring: processo de pontuação automática de Leads, com base em seus perfis e interesses. Na imagem abaixo, veja como essa ação é configurada no RD Station Marketing.
  • Inbound Sales: metodologia de Vendas realizada de forma consultiva, priorizando as necessidades do cliente e conduzindo ele pelo funil até a compra.
  • CRM: Customer Relationship Manager, ou Gestão de Relacionamento com o Cliente. É um tipo de software capaz de organizar, metrificar e guardar o histórico de negociações, auxiliando no processo de Vendas.

Analisar

Por fim, entramos na etapa de análise, que é extremamente importante para o Inbound Marketing. Isto porque permite avaliar quais estratégias estão funcionando e quais não estão.

Dessa forma, é possível monitorar cada ação do público nos seus sites, posts e campanhas, tornando o trabalho mais inteligente. Além disso, todo o processo pode ser otimizado, detectando-se as taxas que estão abaixo do esperado para direcionar os esforços do time de Marketing.

Felizmente, toda essa capacidade analítica do Marketing é amplamente suportada por algumas ferramentas disponíveis no mercado, como Web Analytics e softwares de gestão, relacionamento e monitoramento de Leads, como o RD Station Marketing.

💡 Dica da RD: Você pode começar agora a executar sua estratégia de Inbound Marketing com o RD Station Marketing. Comece o seu teste gratuito e saiba como atrair, converter e fidelizar seus clientes na prática. 

Cursos de Marketing Digital para aprofundar seus conhecimentos

É possível encontrar diversos cursos de Marketing Digital e suas áreas de atuação. Aqui, preparamos uma lista com os principais cursos online sobre o tema, que você pode começar a fazer agora mesmo.

1. Curso de Marketing Digital Gratuito

Com mais de 50 aulas, 9 módulos e alguns dos maiores especialistas em Marketing Digital da RD Station, o Curso de Marketing Digital gratuito é a dica número 1 dessa lista.

O curso é indicado para todas as pessoas que querem aprender conceitos e aplicações de Marketing Digital e Inbound Marketing. E o melhor: após a conclusão, você recebe um certificado digital.

2. Introdução ao Inbound Marketing Gratuito

Na RD University você encontra cursos de Marketing, Vendas, Customer Success e outros assuntos. Entre eles está o curso de Introdução ao Inbound Marketing.

Todo o conteúdo é pensado para aplicação prática e apresentado por André Siqueira, com destaque para a apresentação da metodologia completa.

3. Curso de Instagram e TikTok Gratuito

Claro que na lista não pode faltar um curso que foque nas redes sociais. Por isso, a próxima dica é o Curso de Instagram e TikTok Gratuito. Ele é indicado para quem já trabalha com Marketing Digital ou quer começar a planejar conteúdo para essas mídias.

São 25 aulas de conteúdo na plataforma RD University, ministrados por especialistas na área. E, no final, você também recebe o certificado de conclusão do curso.

4. RD Station Marketing na prática Gratuito

Entenda como o Inbound Marketing e as funcionalidades do RD Station Marketing podem impulsionar sua estratégia no curso gratuito RD Station Marketing na prática.

São 3h de curso com certificado ao final e você ainda pode fazer um teste gratuito para aplicar os conceitos que você aprendeu durante as aulas.

📖 Leia também: 29 cursos de Marketing Digital que você precisa conhecer

Trilha de artigos sobre Marketing Digital

Chegando até aqui, você já conferiu a base do que de fato envolve o trabalho com Marketing Digital e os resultados que pode alcançar. Acontece que cada um dos temas que apresentamos podem e devem ser aprofundados, para você conhecer a fundo cada um dos elementos que compõem essas ações.

É por isso que preparamos uma trilha de conteúdos complementares para nortear seus caminhos de aprendizado. Todos eles estão disponíveis gratuitamente no portal Resultados Digitais. Confira!

Exemplos de Marketing Digital

Sabe o que é melhor do que conhecer as estratégias de Marketing Digital? Descobrir quais são aquelas que mais deram certo para as empresas!

Por isso, para você ver como a mágica acontece, selecionamos 2 marcas que realizaram ações de sucesso e que, inclusive, fizeram uso da nossa ferramenta, o RD Station Marketing. A seguir, comentamos sobre cada uma delas.

1. Audaces

A Audaces é uma multinacional brasileira do setor têxtil, que tinha como objetivo desbloquear todo o potencial estratégico que a área de Marketing Digital poderia ter dentro da empresa. Assim, o objetivo era gerar resultados mais previsíveis para o negócio.

Na prática, a ideia da empresa era diminuir as ações de Outbound e aumentar ações de Inbound Marketing, permitindo que os potenciais clientes chegassem espontaneamente ao site da marca.

Para tanto, a Audaces optou em contratar o RD Station Marketing como parceiro nessa jornada. Uma vez que a ferramenta é tudo em um e conta com várias funcionalidades. Assim, as mais usadas foram:

  • Construção de Landing Pages
  • Segmentação de Leads
  • Automação de Marketing

Dá só uma olhada nas ações:

  • A empresa têxtil ofereceu mais de 55 eBooks com dicas variadas, desde como alavancar resultados de negócio até guias mais técnicos para a indústria da moda.
  • Com a segmentação de Leads, a comunicação da Audaces ficou mais precisa e personalizada. A empresa usou dados como cargos dos Leads e estados onde estavam localizados.

Foi assim que a Audaces aumentou em 130% as oportunidades de vendas e acelerou a expansão global da empresa. Por isso, ao pensar em estratégias de Marketing Digital, não abra mão de contar com uma ferramenta de automação completa.

2. Conquer

A Conquer é uma escola de negócios que oferece diversos cursos e treinamentos com foco em desenvolver habilidades profissionais e pessoais. Desde 2018, a Conquer utiliza o RD Station Marketing e a metodologia do Inbound Marketing para atrair alunos.

Neste sentido, durante a pandemia, a escola viu no Marketing Digital a possibilidade de conquistar mais potenciais alunos oferecendo treinamentos online. Foi com o curso de Inteligência Emocional, disponibilizado em uma Landing Page criada rapidamente no RD Station Marketing, que a Conquer atingiu o marco histórico de mais de 1 milhão e meio de pessoas inscritas.

conquer-tempo-de-tornarse-mais-forte

Com a base nova de Leads cada vez maior, a escolas seguiu usando Segmentação de Leads e Automação de Marketing para encurtar a jornada de compra desses contatos.

Se deu certo? Os números falam por si: desde que apostou no Inbound e no RD Station Marketing, a Conquer triplicou seus resultados, conquistando mais de 2 milhões de alunos em mais de 120 países.

Crie uma estratégia de Marketing Digital robusta

Para manter uma operação de alta performance, com o crescimento contínuo dos resultados, é fundamental trabalhar com informações reais, que demonstram os números alcançados por suas estratégias de Marketing Digital.

Assim, de acordo com a escala das suas campanhas e dos objetivos que você precisa alcançar, é importante selecionar a ferramenta capaz de fornecer o suporte que você precisa.

Portanto, para executar campanhas rápidas em diversos canais, e conseguir implementar ações para alcançar resultados ainda melhores, você pode usar o RD Station Marketing. Com ele, em uma única ferramenta você tem acesso a:

  • Atração: ferramentas para programar suas postagens nas redes sociais e otimizar o conteúdo do seu blog.
  • Conversão: recursos para edição, gerenciamento e análise de landing pages, formulários, pop-ups e botões de whatsapp.
  • Relacionamento: funcionalidades para segmentar seus Leads e fazer envios personalizados e automatizados por email e WhatsApp.
  • Análise: acompanhamento de todo o seu funil de vendas, por meio de relatórios inteligentes e análise de canais.

Aproveite agora para testar o RD Station Marketing gratuitamente, sem precisar cadastrar seu cartão de crédito, e veja na prática como implementar as estratégias que você aprendeu até aqui!

André Siqueira

André Siqueira

Quem escreveu este post

Co-fundador da Resultados Digitais, líder de automação de Marketing na América Latina e nos 8 primeiros anos da empresa liderou a criação e escalada da área de Marketing, tida como referência no Brasil. Do Marketing partiu para uma nova unidade de negócios, focada no desenvolvimento de um produto de educação. Pela RD se tornou também Empreendedor Endeavor e recebeu os prêmios de Empreendedores do Ano pela Endeavor (2017) e pela Revista Pequenas Empresas Grandes Negócios na categoria serviços (2015). Também foi eleito um dos Forbes Under30 em 2019. Formado em administração pela Universidade Federal de Santa Catarina, foi professor de marketing digital na pós gradução da PUC RS, Be Academy, Estácio (SC) e Sustentare. Também foi eleito o profissional do ano em Inbound Marketing três vezes consecutivas pelo Prêmio Digitalks (2016, 2017 e 2018).

Veja também

Marketing
10 benefícios de participar de eventos de Marketing Digital
Marketing
Como escolher uma agência de Marketing Digital para pequenas empresas
Marketing
Como começar a editar podcasts usando o Adobe Premiere