Plano de Marketing e Vendas: o guia completo para o seu planejamento de 2024

Apesar de ser consenso a sua relevância, muitas empresas ainda não fazem um bom planejamento integrado de Marketing e Vendas. Entenda o que esse documento precisa ter e como construir o seu!

Thiago Rocha
Thiago Rocha5 de dezembro de 2023
Lançamento dos Panoramas de Vendas 2024

Um plano de Marketing e Vendas direciona todo o planejamento de estratégias e campanhas em um determinado período, estabelecendo ações e determinando prioridades entre os times. Funciona como um guia e deve estar alinhado com os propósitos e metas para gerar mais vendas, fazendo a empresa crescer e se estabelecer. 


Imagine se tudo que você planeja e estrutura para o crescimento da empresa no ano seguinte acontecesse 100% como o projetado. Seria um sonho, não é mesmo? Assim como você, gostaria muito que os planejamentos dos quais participei durante os meus 5 anos na RD Station também fossem assim.

Apesar do planejamento estratégico não ser 100% certeiro, ele te ajuda a ir na direção certa e a entender em quais momentos corrigir a rota. No nosso caso, ele é fundamental para sustentar o crescimento acelerado, previsível e sustentável que a RD vem traçando desde 2011.

Mas afinal, você sabe a importância de um planejamento integrado de Marketing e Vendas no seu negócio? Apesar de ser consenso a sua relevância, não ter um planejamento é algo muito comum entre as pequenas e médias empresas, sendo um dos principais fatores de falência desses negócios.

Por isso, separei os principais tópicos para estruturar um plano completo e integrado de Marketing e Vendas. Então, continue lendo o post, mas antes deixa eu fazer um convite especial para você!

O que é um Plano de Marketing e Vendas?

Lançamento dos Panoramas de Marketing e Vendas 2024

Todos os anos, a RD Station capta dados dos profissionais e lideranças que atuam nas áreas de Marketing e Vendas no país, além de dados de uso das ferramentas RD Station. São os maiores panoramas do setor no Brasil e trazem informações sobre:

  • Taxas de email por segmento
  • Uso de WhatsApp nas empresas
  • Uso de Inteligência Artificial
  • Canais e Conteúdos mais usados
  • Dados sobre processo comercial
  • Projeção de crescimento e metas

O webinar de lançamento dos Panoramas de Marketing e Vendas 2024 está marcado para o dia 11/06, às 14h. Inscreva-se gratuitamente e conferira os dados em primeira mão!

O que é um Plano de Marketing e Vendas?

O plano de marketing e vendas é um passo fundamental para que as empresas tenham uma visão holística do negócio, com clareza em relação às premissas que darão suporte ao crescimento para o ano seguinte.

Um planejamento de Marketing e Vendas permite estabelecer metas, análises e estratégias melhor alinhadas entre os dois times e com os objetivos de negócio. No fim das contas, é uma forma de deixar os dois times na mesma página — e focados em impulsionar o crescimento sustentável da empresa.

Além disso, ajuda a estimar quais serão as estratégias de marketing, vendas e pós-vendas que, caso bem executadas, ajudarão a companhia a alcançar o que foi traçado.

Geralmente, esse planejamento é iniciado em meados de outubro, para que seja executado no 1º dia de trabalho do ano seguinte. Se você começar a desenhar o seu plano somente em janeiro, por exemplo, terá menos tempo para executar, corrigir, estruturar internamente e alcançar o crescimento esperado. Quanto antes você começar a trabalhar no planejamento de Marketing e Vendas, melhor.

Por que fazer um Plano de Marketing e Vendas?

Entender a importância da integração entre Marketing e Vendas e a forma de fazer isso da melhor maneira possível é a base para que você tenha uma máquina de aquisição previsível, escalável e sustentável.

Isto porque as duas equipes precisam trabalhar de maneira complementar para que a empresa consiga atingir os objetivos e metas estipulados no planejamento. A integração de Marketing e Vendas diminui as falhas e minimiza gargalos que antes custavam a produtividade e bom desempenho dos times.

A equipe de Marketing pode ajudar a de Vendas atraindo o público que tenha o melhor perfil e uma dor que o produto resolve, estabelecendo um relacionamento entre a marca e o contato durante toda a jornada de compra e entregando oportunidades mais qualificadas.

Por sua vez, a equipe de Vendas auxilia o Marketing entregando informações importantes do CRM para a ferramenta de Automação de Marketing, como na imagem abaixo. 

Assim, é possível entender melhor por que a pessoa não comprou o produto e quais ações de Marketing poderiam ser feitas para melhorar a performance do funil de vendas.

Todos esses passos podem ser estruturados para que os objetivos dos grupos sejam traçados de maneira uniforme. Para isso, deve existir um bom compartilhamento de dados entre as equipes e acontecer reuniões constantes com os gestores de cada time.

Leia também: Como fazer um planejamento de Automação de Marketing [+ Planilha gratuita]

Quais os tipos de Plano de Marketing e Vendas?

Antes de começar o seu planejamento, é importante entender que existem diferentes tipos de plano de Marketing e Vendas: por níveis, por estratégia e por campanhas.

A escolha do plano vai depender do seu objetivo no momento e da modalidade que melhor o atende. A seguir, entenda como cada um deles funciona.

Plano de Marketing e Vendas por níveis

Quando falamos em plano de Marketing e Vendas por níveis, estamos nos referindo aos níveis de gestão. Dessa forma, esse tipo de plano desdobra-se em:

  • Plano Estratégico: é o nível mais amplo, pensado a longo prazo. Nele, são definidos os objetivos e a visão estratégica que servirá como base para o desenvolvimento dos planos tático e operacional.
  • Plano Tático: nesse nível, o objetivo é desdobrar o que foi definido no plano estratégico, dessa vez a médio prazo. Se o Inbound Marketing foi estipulado como diretriz estratégica, por exemplo, é hora de determinar detalhes como canais, investimento e objetivos específicos dessa estratégia.
  • Plano Operacional: baseado em uma visão a curto prazo, esse plano visa detalhar cada estratégia a nível operacional, trazendo definições como tarefas, cronograma e responsáveis. O objetivo é nortear a execução da estratégia definida anteriormente.

Portanto, esse modelo permite escalonar e organizar as atividades que precisam ser realizadas. Essa é uma forma de garantir que o plano estratégico vai ser colocado em prática, atingindo os objetivos da empresa.

Plano de Marketing e Vendas por estratégias

Já quando o plano é criado com base em estratégias, estamos nos referindo aos planos táticos da área de Marketing e Vendas. Ou seja, cada uma daquelas estratégias citadas no plano estratégico ganha seu próprio plano tático.

Por exemplo, a estratégia de Inbound Marketing pode ganhar um planejamento tático, enquanto a estratégia de Marketing de Relacionamento ganha outro.

No entanto, é importante ter em mente a visão geral do plano estratégico, garantindo que todas as táticas conversem entre si e estejam alinhadas aos objetivos principais do negócio. Dessa forma, é possível garantir a eficiência dessas atividades.

Plano de Marketing e Vendas por campanhas

Por fim, os planos criados com foco em campanhas têm um objetivo a curto prazo, vinculado a uma campanha de Marketing e Vendas específica, como a Black Friday. O objetivo desse plano é justamente garantir a operacionalização das ações necessárias para colocar a campanha em prática, por meio da definição de tarefas, prazos e orçamento. 

Aproveitando o mesmo exemplo, em uma campanha de Black Friday é preciso entender quais canais serão utilizados, qual será a mensagem da campanha, qual é a meta estipulada e durante quantos dias ela ficará no ar. E para o sucesso dessa ação, é preciso que os times de Marketing e Vendas estejam alinhados.

Ainda, os planos por campanhas também precisam estar de acordo com a estratégia da empresa. Dessa forma, fica muito mais fácil quebrar a visão estratégica em elementos menores, facilitando sua execução a nível operacional.

Etapas de um plano de Marketing e Vendas

Como dito anteriormente, o plano de Marketing e Vendas deve dar suporte ao crescimento da empresa. Dessa forma, é inviável começar a traçar um plano sem entender quais são os objetivos do ano, o quanto vai ser necessário crescer e o quanto a empresa vai precisar de recursos para suportar as ações de Marketing e Vendas.

Ao longo de todos os anos da RD, nos seus mais variados tamanhos e desafios, percebemos que um bom planejamento é baseado nesses pilares:

  1. Diagnóstico: primeiro, devemos analisar o mercado e o negócio, para então entender seu estado atual. Essas informações vão suportar a tomada de decisões.
  2. Definição de objetivos: esse é o momento de definir os objetivos da organização, como meta de vendas, investimento e tamanho da operação — que podem mudar durante o planejamento, mas são um ótimo parâmetro para avaliar as ações que devem ser priorizadas.
  3. Planos de ação: por fim, deve-se definir planos de ação para alcançar os objetivos e metas estipulados, detalhando as iniciativas que suportarão esse crescimento.

A seguir, detalharemos melhor cada um desses passos. No entanto, tenha em mente que, no momento da execução do plano de Marketing e Vendas, é preciso ter disciplina, mas também analisar o cenário para corrigir a rota caso necessário.

Diagnóstico

Começando com o diagnóstico, é importante entender que qualquer decisão tomada em um plano de Marketing e Vendas deve ser feita com base no histórico da empresa e no contexto do mercado.

Isto porque as metas e planos de ação estipulados posteriormente precisam ser realizáveis, mas também representar uma evolução do que já foi feito anteriormente. Afinal de contas, o objetivo é continuar crescendo e gerando resultados positivos.

A seguir, conheça os principais diagnósticos que podem ser produzidos para suportar seu plano.

Análise SWOT

Antes de estabelecer os objetivos do seu plano, é preciso conhecer o mercado, os concorrentes e a operação interna da empresa, para então encontrar as possíveis alavancas de crescimento e entender a viabilidade do que se quer propor.

Por meio da Análise SWOT (Strengths, Weaknesses, Opportunities and Threats), é possível analisar a viabilidade de um projeto, produto ou campanha dentro do negócio, bem como os possíveis problemas enfrentados no caminho e como solucioná-los.

A análise SWOT é feita em uma matriz. Na parte superior, ficam localizadas as forças e fraquezas, considerados os fatores internos, ou seja, aquilo que você tem controle direto.

Já na parte inferior, temos as oportunidades e ameaças, que são os fatores externos, sem controle direto do indivíduo ou do negócio.

Ao fazer essa análise, fica mais fácil entender os fatores que influenciam os resultados da empresa, permitindo a tomada de decisões mais acertadas. 

Análise de Perfil de Cliente

Para que seu plano de Marketing e Vendas seja efetivo, direcionando a energia para as coisas que têm maior potencial de crescimento na empresa, você precisa conhecer quem são seus clientes e como eles interagem com o seu produto ou serviço.

Para isso, é preciso analisar quem tem sucesso com o seu produto, quais são seus hábitos, suas dores e quais outras soluções essas pessoas usam. Dessa forma, é possível fazer uma série de análises e conhecer o comportamento do seu consumidor na jornada de compra.

Essa análise pode ser quantitativa ou qualitativa. Na análise quantitativa, é possível identificar padrões que permitam decidir quais são seus clientes ideais, como:

  • Perfil e características em comum dos melhores clientes.
  • Perfil e características em comum dos piores clientes.
  • Distribuição de clientes por demografia e outros parâmetros relevantes, como cargo, número de funcionários, receita e segmento no caso de negócios B2B; e canal, idade, localização e sistema operacional, em negócios B2C.
  • Funil de aquisição por parâmetros disponíveis/relevantes.
  • Retenção por parâmetros disponíveis/relevantes.

Também, é importante entender com maior profundidade o que seus clientes mais valorizam a respeito do seu produto ou serviço. Para isso, realize pesquisas qualitativas, por meio de entrevistas. Isso vai te ajudar a desenhar um plano tático mais efetivo.

Confira algumas perguntas que podem ser feitas:

  • Qual é a jornada dos seus melhores clientes?
  • Quais são seus hábitos de consumo?
  • Como eles conheceram a sua marca? Por onde que eles vieram?
  • Por que eles compram de você e não dos seus competidores?
  • Quais são as principais objeções que os seus vendedores recebem?
  • E os seus piores clientes? Faça as mesmas perguntas.

Leia mais: Persona: o que é, como definir e por que criar uma para sua empresa

Análise interna entre Marketing e Vendas

Um dos principais motivos para fortalecer a integração de Marketing e Vendas é a força e inteligência que ambas as áreas possuem. No dia a dia, elas ainda podem compartilhar  informações e enriquecer o que se sabe sobre os Leads e sua jornada de compras.

Dessa maneira, os feedbacks de Vendas precisam demonstrar quais ações podem ser realizadas para aumentar a qualificação dos Leads, como a criação de materiais ricos, o disparo de e-mails e a configuração do Lead Scoring.

Ainda, Vendas também pode compartilhar as principais características e dúvidas dos Leads, informações que podem guiar a tomada de decisão do time de Marketing.

Para garantir eficiência, é imprescindível que o acompanhamento seja regular e haja a utilização de documentações e cases gerados entre as áreas.

Definição de objetivos

Após entender melhor o mercado e o próprio negócio, chegou a hora de definir onde a empresa gostaria de chegar do ponto de vista financeiro.

Toda empresa gostaria de crescer o máximo possível, concorda? Contudo, esse crescimento precisa ser previsível e consistente, baseado na capacidade operacional do negócio, para que seja sustentável.

Por isso, as empresas definem metas de Marketing e Vendas, que irão guiar o planejamento dos times. E para que a definição dessas metas seja estruturada de maneira eficaz, é fundamental seguir 3 premissas básicas:

  1. Criar metas claras e desafiadoras, mas atingíveis;
  2. Projetar o funil reverso, a partir da meta de vendas, como na imagem abaixo;
  3. Analisar a capacidade de entrega que o negócio tem perante a expectativa criada.
funil reverso de marketing e vendas

Por exemplo, se em determinado mês você precisa fazer 20 vendas para atingir o objetivo do seu negócio, com base nas taxas atuais de conversão será necessário alcançar os seguintes números:

  • 40 oportunidades (20/50%)
  • 200 Leads qualificados (40/20%)
  • 2.000 Leads (200/10%)

Ou seja, para chegar a 20 vendas, você precisa gerar 2.000 Leads, 200 Leads Qualificados e 40 Oportunidades por mês. Lembre-se de fazer essa conta baseada nas taxas reais de conversão do seu negócio.

Com o funil reverso, você consegue entender como está funcionando a sua operação mês a mês. Assim, é possível projetar determinadas melhorias operacionais, de modo que o seu funil fique mais eficiente.

Por fim, é necessário analisar a capacidade de entrega que o negócio tem perante a expectativa criada. Dificilmente o objetivo será alcançado se os times de Marketing e Vendas não planejarem juntos como vão chegar nos números estabelecidos.

Plano de ação

Definidas as metas de Marketing e Vendas, fica muito mais claro quais são os projetos e iniciativas que devem ser priorizados para suportar o crescimento esperado. 

E como montar uma estratégia para se chegar ao número ideal de clientes que a empresa deve prospectar no ano seguinte?

Para isso, eu gosto de separar o planejamento em três grandes blocos:

  • Ações de curto prazo: são as ações com alta confiabilidade e previsibilidade de resultados a curto prazo. Um exemplo são as campanhas de Mídia Paga, Email Marketing e Automação de Marketing.
  • Ações de médio prazo: são ações que talvez não gerem resultados consideráveis a curto prazo, mas que podem ajudar a ter uma vantagem competitiva no futuro. São exemplos as estratégias de SEO e Marketing de Relacionamento.
  • Testes e experimentos: testar e experimentar novos canais ou modelos de aquisição pode ser uma forma de otimizar seus resultados. E usar os frameworks de Growth Hacking é uma ótima forma de você explorar essas novas oportunidades.

É natural que, com o tempo, os canais que suportam o seu crescimento tornem-se menos eficientes por alguns motivos. Um exemplo comum é o aumento da concorrência no próprio canal, conforme ele vai ganhando popularidade. 

Um exemplo é o Facebook Ads, que aumentou o seu custo em 100% desde 2012.

Leia mais: Mapa estratégico: o que é e como criar um para a sua empresa?

Quais as melhores estratégias de Marketing para o plano?

A escolha das ações necessárias para atingir as metas vai depender de uma série de fatores, analisados na etapa de diagnóstico. Com base neles, será possível definir quais estratégias fazem mais sentido para o negócio.

A seguir, separamos as principais táticas que podem ser incluídas no seu plano de Marketing e Vendas.

Inbound Marketing

O Inbound Marketing é uma estratégia focada em atrair clientes por meio de conteúdo relevante, como artigos de blog, ebooks, vídeos, pesquisas e cases. A ideia é guiar essas pessoas pela jornada de compra, da descoberta do problema até a decisão de compra.

Segundo o Panorama de Marketing 2023, 91% das empresas utilizam o Inbound Marketing como estratégia, que já se tornou essencial para times de Marketing e Vendas.

Outbound Marketing

Já o Outbound Marketing, também conhecido como Marketing Tradicional, é aquele em que as empresas vão atrás dos clientes, com o objetivo de conquistá-los, focando na propaganda ativa.

É o que acontece quando a empresa faz propagandas na TV, patrocina eventos, faz anúncios nas redes sociais ou mesmo entra em contato direto com um possível cliente oferecendo o produto.

Marketing de Conteúdo

Também podemos dizer que o Marketing de Conteúdo foca em produzir conteúdo. Não é à toa que essa estratégia é considerada a base para o desenvolvimento de um bom projeto de Inbound Marketing.

Assim, o Marketing de Conteúdo ajuda a resolver problemas, entreter e educar o mercado, fornecendo conteúdo de valor por meio de diferentes canais e formatos. Entre os benefícios, está a atração, engajamento e retenção do público.

Marketing de Relacionamento

Com o objetivo de melhorar o relacionamento entre marca e público, o Marketing de Relacionamento é uma estratégia focada, principalmente, em garantir a fidelização dos clientes.

No entanto, também está relacionada à construção de autoridade e disseminação da marca no mercado. Afinal de contas, o relacionamento é a base para qualquer ação de Marketing e Vendas.

Você já deve ter ouvido falar que conquistar um novo cliente é mais caro que manter um atual. Por isso, é preciso focar, também, em criar ações capazes de garantir a satisfação e reforçar essa relação de proximidade. E se o seu cliente gosta da sua empresa, as chances de te indicar para outras pessoas aumentam.

Marketing de Retenção

Você já deve ter ouvido falar que ganhar um novo cliente é mais caro que manter um atual. E o Marketing de Retenção foca exatamente em fidelizar os clientes que a empresa já conseguiu conquistar. 

Para isso, é preciso criar ações capazes de garantir a satisfação, como programas de benefícios e a constante inovação em produtos e serviços, para entregar aquilo que o cliente espera. E se o cliente gosta da sua empresa, as chances de te indicar para outras pessoas também aumentam.

Marketing com foco em Branding

O Branding tem como objetivo fortalecer a marca e criar conexões com o público, por meio de ações alinhadas ao seu posicionamento, propósito e valores. E uma marca forte tem mais chances de ser a opção de compra do público no momento da decisão de compra.

Por isso, apesar de ser conhecida como uma estratégia que traz resultados a longo prazo, o Branding também contribui para aumentar os resultados de campanhas de performance.

Marketing de Influência

Popularizado nos últimos anos, o Marketing de Influência aproveita a relação próxima de criadores de conteúdo digital e seus seguidores para promover produtos e serviços.

Dessa forma, esses influenciadores conseguem não apenas expandir o alcance das marcas, mas também aumentar a confiança do público nelas. E o resultado é o crescimento do conhecimento da marca e das vendas.

Marketing Interativo

O Marketing Interativo procura incentivar o engajamento do público com a marca. Seja por meio de um jogo, quiz ou até mesmo uma experiência imersiva, essa estratégia foca em proporcionar experiências qualificadas, otimizando as chances de conversão.

Ainda, essa estratégia pode fazer parte de outras estratégias de Marketing, como o Inbound e o Marketing de Conteúdo.

Marketing em Redes Sociais

Por meio das redes sociais, é possível promover produtos e serviços, criar uma relação mais próxima com o público e garantir mais um canal de distribuição para as marcas.

Hoje, existe uma diversidade de redes sociais, como Instagram, Facebook e TikTok, que permitem compartilhar conteúdo e interagir com outras pessoas. E se seus clientes estão nas redes sociais, pode fazer sentido para a sua marca estar lá também.

Recursos para o planejamento de Marketing e Vendas

Com o primeiro plano tático desenhado, você precisa entender a quantidade de recursos necessários para viabilizá-lo. Não existe um número mágico, mas, geralmente, as empresas investem entre 15% e 20% da sua receita em Marketing. 

Quanto ao time, será necessário entender a quantidade de pessoas para executar o plano, quantas serão contratadas e se a operação será interna ou externa.

Além disso, para ganhar produtividade, tanto na operação quanto no momento de analisar os dados, é fundamental ter à disposição do time um conjunto de ferramentas de Marketing e Vendas, como:

Hoje, existem inúmeras ferramentas gratuitas ou de baixo custo para quem está começando. Mas, é claro, conforme a sua operação vai ganhando maturidade, você vai precisar de ferramentas e análises mais robustas para atender as necessidades do negócio.

Dica da RD: conheça os planos de entrada da RD Station: RD Station Marketing Light e o RD Station CRM Free, e comece a automatizar e integrar a sua estratégia de Marketing e Vendas.

Troca de dados entre Marketing e Vendas

A troca de dados entre as equipes de Marketing e Vendas é o que embasa o planejamento e permite realizar a correção de rotas conforme o tempo.

Por isso, é importante que esses times avaliem o resultado das suas ações por todo o funil de vendas e mantenham contato constante para alinhar os próximos passos.

No dia a dia de Marketing, é necessário utilizar uma ferramenta de automação de marketing para gerar Leads, por meio de Landing Pages, pop-ups e formulários. Além de captar novos contatos, é essencial fazer a identificação por meio de lead scoring e fluxos de automação para preparar e avaliar o perfil dos leads. 

Já o departamento de Vendas, precisará gerir contatos, criar funis de vendas, distribuir oportunidades entre a equipe e mapear as próximas ligações e abordagens. Nenhuma informação entre Marketing e Vendas deve ser perdida pelo caminho.

Dica da RD: Uma das melhores alternativas para manter as equipes na mesma página é utilizar softwares integrados, como RD Station Marketing e RD Station CRM. Eles permitem acompanhar a jornada do cliente, entender os resultados e ter uma visão geral da estratégia.

E lembre-se: todos os movimentos de uma marca podem influenciar a tomada de decisão do cliente. Por isso, precisam estar alinhados aos objetivos e propósito do negócio, para promover boas experiências e oferecer valor real para o público.

Exemplos de empresas com Planos de Marketing e Vendas mais bem-sucedidos

Agora, vamos compartilhar alguns exemplos de empresas que adotaram planos de Marketing e Vendas integrados e conseguiram aumentar os resultados.

Essa é uma forma não apenas de mostrar que esse pode ser o melhor caminho para a sua empresa, mas também de inspirar seus times a construírem um caminho de sucesso juntos.

Consórcio Magalu

Até o início de 2020, as vendas do Consórcio Magalu eram realizadas nas lojas físicas, mas a empresa já usava o meio digital para impactar mais pessoas e aumentar os resultados. No entanto, os times de Marketing e Vendas não estavam bem alinhados e as ferramentas usadas pela operação não estavam integradas, inviabilizando a otimização desse processo.

Foi com a criação de um plano de Marketing e Vendas que a empresa conseguiu colocar a estratégia de Inbound Marketing em prática, integrando os times e automatizando todo o processo. Para isso, as ferramentas RD Station Marketing e RD Station CRM foram contratadas e um novo site foi lançado.

Como resultado, o Consórcio Magalu conseguiu crescer 53% em Leads gerados e aumentar as vendas em 41%.

Terça da Serra

Franquia de casas de repouso, a Terça da Serra tem mais de 120 unidades espalhadas por todo o Brasil. A empresa tinha o objetivo de continuar crescendo, mas enfrentava um problema: não conseguia ter uma visão de como ações de Marketing impactavam em Vendas e não havia integração entre os dois times.

A empresa já utilizava o RD Station Marketing, mas os leads eram repassados entre os times de forma manual. Portanto, a empresa contratou uma ferramenta que permitisse essa integração, o RD Station CRM.

A partir daí, foi criado um plano de Marketing e Vendas integrado, que permitiu otimizar as estratégias. O resultado foi um aumento de 240% na geração de leads, 90% nas vendas e 80% no faturamento.

Convenia

A Convenia é um software de RH e enfrentava alguns desafios para aumentar as vendas. A maior dificuldade era alcançar o público certo e educá-lo, já que a solução poderia parecer complexa no primeiro momento. Ainda, a falta de integração entre as ferramentas usadas dentro do próprio Marketing impedia a otimização da estratégia.

Por meio de um plano integrado de Marketing e Vendas, a Convenia passou a estruturar uma estratégia consistente de Inbound Marketing. Para isso, contou com o RD Station Marketing, que possibilitou a automatização de todas as atividades em uma única ferramenta.

Então, a empresa passou a nutrir os leads conquistados e a repassá-los para o time de Vendas por meio de uma integração entre o RD Station Marketing e o CRM utilizado pela por eles. O resultado foi um aumento de 10 vezes no faturamento com Marketing Digital.

Comece agora seu plano de Marketing e Vendas

Independentemente do tamanho e segmento da sua empresa, jamais deixe de investir tempo para criar uma boa estratégia e planejamento de Marketing Digital.

O diagnóstico periódico da sua empresa, o entendimento das mudanças do mercado e o acompanhamento da execução do trabalho são bem importantes para que você consiga uma visão geral das melhores ações a executar e do valor do investimento em cada uma delas para o alcance dos objetivos da empresa até o fim do ano.

O segredo, no entanto, é saber analisar os resultados, priorizar os projetos a serem executados e aproveitar tudo que o Marketing Digital tem a oferecer para a sua empresa. 

Por esse motivo, a mensuração periódica (mês ou trimestre) deve ser uma atividade obrigatória. Os números no papel podem direcionar os próximos passos necessários e colaborar em uma possível decisão de reestruturação do planejamento, com a revisão de metas e projeções anuais.

Além disso, não se esqueça de registrar seu planejamento e resultados e de comunicar a empresa sobre as possíveis mudanças e métricas associadas. Eles serão pontos fundamentais para a execução de curto prazo e o direcionamento das estratégias para o próximo período.

Espero que com estas dicas, que são indispensáveis para qualquer planejamento de Marketing Digital, você consiga ter uma noção maior sobre como direcionar seus esforços. Assim, espero que você consiga alcançar os resultados que busca no período.

RD Station

Teste o RD Station Marketing gratuitamente

O RD Station Marketing é a melhor ferramenta para automação de Marketing Digital tudo-em-um para sua empresa. Faça um teste gratuito de 10 dias.

  • Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses.
  • Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade.

* Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.
Thiago Rocha

Thiago Rocha

Quem escreveu este post

Sou engenheiro de formação pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e trabalho com Growth há mais de 6 anos em diversas áreas da RD Station – um dos SaaS de mais rápido crescimento no Brasil. Atualmente sou Head de Growth. A equipe é responsável por executar estratégias de aquisição e encontrar as principais alavancas com o objetivo final de escalar o crescimento da empresa. Durante esses anos na empresa, atuou em diversos setores vendo a empresa crescer +3x o número de funcionários, +30x em receita e ter mais de 30 mil clientes em mais de 40 países.

Veja também

Marketing
Descubra o que é IA Generativa e suas aplicações
Marketing
Quais os livros de Customer Success que os especialistas da RD indicam?
Marketing
Marketing na Páscoa: melhores dicas e exemplos para vender muito nessa data