Saiba o que é PageRank, como funciona e se você ainda deve se preocupar com essa métrica

O PageRank do Google não é mais exibido desde 2016; entenda o que fazer e se esse dado continua sendo importante

Resultados Digitais
Resultados Digitais10 de abril de 2021
Lançamento dos Panoramas de Vendas 2024

Quem trabalha com SEO há bastante tempo sabe que muitas vezes as atualizações do Google pegam os profissionais da área de surpresa.

Um exemplo ocorreu em 2011, quando o buscador lançou o update Panda e passou a não aceitar mais qualquer conteúdo mal escrito, com repetições exageradas de palavras-chave apenas para posicionar.

No mesmo ano, a empresa decidiu que não exibiria mais as informações sobre as palavras-chave que trouxeram tráfego para o seu site (o famoso Not Provided).

Já em 2012, o Google lançou o update Penguin, fazendo com que todos os sites com links de baixa qualidade, artificiais, sofressem consequências.

Verdade seja dita: todas essas mudanças foram justas e necessárias, considerando que o algoritmo do Google foi feito para traduzir o que seria uma boa experiência para o usuário e não para que os sites artificialmente se adequassem a esse algoritmo.

Foi sob essa mesma premissa que, em 2016, o Google anunciou que não exibiria mais publicamente a informação do PageRank de todos os sites. Depois disso, o que fazer? Será que esse dado continua sendo importante?

Neste artigo, você vai descobrir o que é PageRank, como funciona e se deve ou não se preocupar com ele.

  Para outras dicas de otimização para os mecanismos de busca, baixe gratuitamente o Guia completo do SEO. Nele você encontra tudo o que precisa saber para fazer o seu site aparecer no Google.

eBook O Guia Completo do SEO

Tudo o que você precisa saber para ficar na primeira página do Google e atrair mais visitantes qualificados

  • Sua inscrição é gratuita
  • Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade.

* Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

O que é PageRank?

O PageRank é uma maneira criada por Larry Page, cofundador do Google, de medir a autoridade de uma página. A métrica é baseada na quantidade e qualidade de links que um site recebe. O nome, aliás, vem do sobrenome do criador, e não do fato de ser um algoritmo de páginas.

Todos esses critérios são analisados e ilustrados através de uma escala de 0 a 10, sendo 0 um site com pouquíssima relevância e autoridade e 10 com extrema autoridade e relevância. A métrica está intimamente relacionada com o link juice, ou seja, a parcela de otimização de rankeamento que determinado link repassa para a página de destino.

No princípio, o Google mencionava, em sua patente, que o cálculo do PageRank era feito levando em consideração o volume de links recebidos por determinada página, mas também a autoridade de quem fazia essa linkagem. Ou seja, uma página com mais autoridade transmitiria mais PageRank que uma com pouca autoridade. 

Atualmente, além da quantidade e a qualidade dos links, o Google considera também o contexto deles. 

Ainda devo me preocupar com o PageRank?

A escala sempre foi muito importante para os especialistas em SEO planejarem suas estratégias. Afinal, o PageRank era a métrica ideal para identificar as páginas mais fortes de um site. Inclusive muitas ferramentas (algumas até pagas) disponibilizavam essa métrica para seus usuários.

O problema é que, como mencionamos na introdução, desde 2016 o Google não exibe mais essa informação. Isso leva à pergunta: ainda é preciso se preocupar com o PageRank?

A resposta simples é não. Primeiro porque hoje o PageRank é uma métrica interna do Google, ou seja, não é possível conhecer seu real valor atualmente. 

Além disso, o PageRank não tem necessariamente relação com o ranqueamento que você pode atingir. Uma página com PageRank 5 pode estar na frente de uma com PageRank 7, por exemplo. Por fim, o Google, hoje, leva em conta diversos fatores para classificar uma página.

O PageRank ainda existe?

É importante ressaltar que o PageRank não foi extinto, ele só não é mais divulgado. Assim, a métrica continua existindo, porém só o Google tem acesso a essa informação.

Sendo assim, se você pesquisar por uma calculadora de PageRank ou em qualquer outra ferramenta que exibe essa escala, o retorno da ferramenta provavelmente será zero, mas não significa que a métrica seja realmente zero.

O que analisar no lugar do PageRank?

No lugar do PageRank, você pode analisar outras métricas mais palpáveis atualmente. Veja algumas dicas de como fazer:

Use a ferramenta Moz para saber seu Page Authority

A Moz, uma das maiores ferramentas pagas focadas em SEO do mundo, possui uma métrica/escala própria que ilustra uma espécie de autoridade muito parecida com a proposta do PageRank: estamos falando do Page Authority.

O Page Authority é uma escala logarítmica (quanto maior o número, mais difícil é aumentá-lo) que vai de 0 a 100. 

Apesar de essa métrica levar em consideração não só a qualidade e quantidade de links que a página em questão tem, os outros fatores que ela avalia estão bem relacionados com a autoridade e relevância da página, fazendo com que você tenha esse número ilustrativo parecido com o PageRank.

Use ferramentas de análise de links

Como já dito, o PageRank é baseado no número de links e na qualidade deles. Uma forma de continuar entendendo a autoridade e relevância das páginas é analisar manualmente a quantidade e qualidade dos links para essas páginas, através de ferramentas de análise de links.

Muitas ferramentas voltadas para Link Building possuem suas próprias métricas, que avaliam esses critérios. A Majestic SEO, por exemplo, tem as métricas Trust Flow e Citation Flow para traduzir a autoridade dos links que uma página recebe. Ou a ferramenta Ahrefs que possui uma funcionalidade para identificar as páginas mais fortes de um site.

Saiba mais sobre Link Building no vídeo abaixo:

Além dessas citadas aqui, existem muitas outras que podem te ajudar a interpretar melhor os links de uma página. Se você já paga alguma ferramenta desse tipo, investigue as suas funcionalidades e provavelmente encontrará métricas que serão de grande ajuda na hora de entender a força de uma página.

Se você quer ir além da sua estratégia de SEO e aumentar seu tráfego orgânico, pode ainda contar com ferramentas como o RD Station Marketing. Nele você pode acompanhar o volume de buscas e a competitividade das palavras-chave, além de acessar diversas funcionalidades que ajudam a gerar mais tráfego, converter e se relacionar com os Leads e gerar mais oportunidades de venda. 

Faça um teste gratuito preenchendo o formulário abaixo!

RD Station

Use as funcionalidades de SEO do RD Station Marketing para aumentar seu tráfego orgânico

O RD Station Marketing é a melhor ferramenta para automação de Marketing Digital para sua empresa. Ele tem o painel de palavras-chave by SEMrush, que acompanha o volume de buscas e a competitividade de keywords para poder melhorar o posicionamento dos seus resultados nos buscadores. Faça um teste gratuito de 10 dias sem compromisso.

  • Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses.
  • Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade.

* Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

Artigo publicado em abril de 2016 e atualizado em abril de 2021.

Resultados Digitais

Resultados Digitais

Quem escreveu este post

Resultados Digitais é o portal de conteúdo, mídia e educação da RD Station, líder no desenvolvimento de software (SaaS) voltado para o crescimento de médias e pequenas empresas. Sua plataforma de automação de Marketing e Vendas é líder no Brasil e soma mais de 50.000 clientes, em mais de 40 países.

Veja também

Marketing
Growth hacking: o que é + guia prático para aplicar em sua empresa
Marketing
[Palestra RD Summit 2015] Ana Rezende: Contratação e retenção de talentos em Marketing e Vendas
Marketing
Instagram Aesthetic: como criar um perfil atraente para a sua empresa na rede social