Acesse sua conta

Blog de Marketing Digital de Resultados

RD Station: Tudo o que precisa saber sobre Marketing Digital e Vendas

Como as PMEs podem inovar na sua estratégia de conteúdos, por Eric Fulwiler

Veja como as pequenas e médias empresas podem desenvolver uma estratégia eficiente de conteúdos. Confira dicas aplicáveis com Eric Fulwiler, Diretor Executivo da Vaynermedia, em Londres.

Os eventos de Marketing e Vendas são, sem dúvida, uma grande fonte de inspiração para o trabalho  de produção de conteúdos para as empresas e o surgimento de novas ideias. No entanto, por vezes, percebemos que a audiência fica com aquela sensação de: “Ok, mas como aplicar o que foi apresentado na minha pequena ou média empresa?”. A partir deste questionamento, surgiu a ideia de conversarmos com Eric Fulwiler, Diretor Executivo da VaynerMedia, em Londres.

Imagem Eric Fulwiler

Esta entrevista fecha o nosso ciclo de conversas com especialistas realizadas durante a última edição do ClickSummit, em Lisboa. Na sua palestra, Eric abordou a urgência por parte das empresas em produzirem mais conteúdos, em maior velocidade e para canais distintos. Mas, como aplicar isso na prática, quando muitas empresas trabalham com pequenas equipas ou, até mesmo, com os chamados one-man-army, ou seja, um profissional responsável por planear, executar e analisar toda a estratégia de conteúdo? O profissional experiente mostra que isso é possível e por fim deixa 3 dicas aplicáveis para as pequenas e médias empresas.

 

RD Station: Quando se trata das pequenas e médias empresas, criar mais conteúdos, num ritmo acelerado, pode ser um desafio maior do que para as grandes companhias. Portanto, como podem estas empresas, independente do tamanho, aplicar estas técnicas na prática? Como conseguem melhorar o seu conteúdo, criá-los de forma mais rápida e sem precisarem abrir mão do potencial criativo.

 

Eric Fulwiler: Primeiramente, preciso dizer que sou um apaixonado pelas PMEs. Antes do meu trabalho com Gary Vaynerchuk, na VaynerMedia, fazia uma consultadoria e trabalhava diretamente com restaurantes e hotéis de pequeno e médio porte. Além disso, na minha família, tanto do lado paterno quanto materno, há pequenos empreendores a quem eu sempre ajudei. Pequenas e médias empresa são motivo de entusiasmo porque os considero negócios reais, ou seja, não há conselho de diretores e infinitas reuniões sobre campanhas de longa duração que, muitas vezes, não sabemos o quanto vão resultar em negócios. Pequenos negócios são negócios reais.

Desta forma, há maneiras de implementar um modelo de produção de conteúdo ágil e criativo para as PMEs e destaco os seguintes pontos:

Quando penso num pequeno negócio, penso na quantidade de oportunidades existentes, pois o facto é que a “barra”, o padrão, é muito mais baixo quando o assunto é o marketing. Isso significa que muitos dos donos destas PMEs, não são especialistas em Marketing e, com toda a razão, estão preocupados com as atividades operacionais. Não há COO, CFO, CMO entre outras siglas, é preciso fazer tudo o que for possível para manter as contas em dia.

Se eu fosse uma pequena empresa, penso que usaria o meu tamanho como uma vantagem. Afinal, se me dedicasse um pouco a aprender sobre Marketing Digital e pudesse executar pelo menos 2% do que as grandes empresas fazem, já estaria numa posição avançada se comparado com outras pequenas empresas que, diferente das grandes empresas, não estão com grande empenho nas suas ações de marketing.

Portanto, relativamente ao volume, velocidade, personalização e utilização dos dados, tudo é diferente quando falamos das pequenas e médias empresas. Afinal, não é preciso pensar numa campanha que custe alguns milhares de euros. É possível ser muito mais realista e efetivo.

O segundo ponto que o nosso CEO, Gary Vaynerchuk, sempre aponta para a produção conteúdos através da documentação de ações que já está a realizar, no lugar de ter de pensar numa ideia inovadora. Então, se é uma PME, pode pensar em coisas quem podem ser transformadas em conteúdos relevantes. Por exemplo, se tem uma loja de móveis, pode criar pequenos vídeos semanais com dicas do tipo “como escolher o móvel X ou Y”, “O que observar na hora de mobilar a sua casa” entre outras possibilidades. Vamos pensar em outro exemplo bastante comum, os restaurantes. Podem criar um canal de vídeos com receitas que estejam relacionadas ao seu negócio. Ou seja, são ideias que fazem parte do quotidiano do seu negócio e que pode gerar uma grande interação, pois é o conteúdo produzido por um especialista. No fim, a ideia é mudar a mentalidade do conteúdo como uma publicidade, mas sim como algo editorial, ou seja, de “advertiser” para “publisher”.

RD: Quanto a segmentação e a utilização dos dados para produzir conteúdos. Como as pequenas e médias empresas podem fazer?

EF:Assim como o próprio negócio, as audiências também são mais pequenas. Portanto, em teoria, as PMEs têm maior facilidade na capacidade de falar com o seu público. Voltemos ao dono da loja de móveis e pensemos que a mesma está em Lisboa. Será que faz algum sentido tentar falar com todo o mercado nacional? Não vale mais a pena conversar diretamente quem está na sua zona? Com a segmentação localizada há uma chance muito maior de uma empresa tornar-se relevante e até mesmo uma autoridade naquele segmento.

Quando o assunto são os dados, as pequenas e médias empresas ainda falham imenso. Há ainda muita gente preocupada e a gastar dinheiro com anúncios nos media tradicionais ou envios de newsletters pelos correios. Porém, quais são os dados que consegue recolher destas ações? Quantas pessoas receberam, abriram, leram e ficaram interessadas no seu negócio? Não há como medir e isso é um desperdício para o seu orçamento. Portanto, dedique tempo na sua educação e formação, pequenos cursos de 20 a 40 horas que podem ser aplicados na prática. Pouco a pouco, com o aquele esforço de 2% que falei anteriormente, conseguirá alcançar melhores resultados, sem precisar ser uma grande empresa.

 

RD: Pode deixar 3 dicas para aqueles que estão à frente do Marketing das Pequenas e Médias empresas?

Dica 1: Pratique. Tente compreender o funcionamento dos diferentes recursos. De forma prática, costumo dizer o seguinte: sabemos o que fazer para perder peso e como praticar atividade física, mas é preciso priorizar, se não a mudança física nunca acontecerá. Então, coloque a sua aprendizagem sobre o Marketing Digital como uma prioridade. Estude sobre como criar uma comunidade no Instagram, aprenda mais sobre o Facebook Ads e qualquer outro canal que possa fazer diferença para o seu negócio.

Dica 2: Não crie, documente: Faça pequenos vídeos que possam ser usados como conteúdos nas suas redes sociais. Conte com a ajuda de familiares que tenham conhecimento sobre vídeo ou se puder considere também uma vaga para estágio na sua empresa. Comece a fazer e aprimore a técnica com o tempo. Ideias são importantes, mas a execução é o que importa.

Dica 3: Não pense demais! O seu principal objetivo é trazer algum valor para a sua audiência. A sua estratégia de conteúdos precisa ter isso sempre como guia, afinal, é a partir desta geração de valor que vai conseguir atrair os visitantes, criando um relacionamento com os mesmos, para que no fim do processo estejam dispostas a fazerem negócios consigo.

Com estas três dicas em mãos, pode começar a aplicar a sua estratégia de conteúdo independentemente do tamanho da sua empresa. Invista no conteúdo, gere valor e garanta os melhores resultados de sempre.

Métricas

Marcadores:

Deixe seu comentário