O fim da era dos likes e o início da era da voz, por Edney Interney #RDSummit

Entenda a transição da era dos likes para a era da voz e saiba como a sua empresa pode se preparar para essas mudanças com as dicas do palestrante

Mônica Custódio
Mônica Custódio6 de novembro de 2019
Lançamento dos Panoramas de Vendas 2024

Este post faz parte do RD Summit Live Show, a cobertura completa do RD Summit 2019. Além de artigos, teremos entrevistas com palestrantes, fotos, vídeos e mais durante os três dias de evento. Visite a página da cobertura e fique por dentro de tudo!

A era dos likes está acabando. Ao mesmo tempo, inicia-se uma nova era: a da voz. Mas o que isso significa para a sua empresa? Foi sobre esses temas super atuais que o especialista e professor Edney Souza, mais conhecido como Interney, palestrou na plenária do RD Summit 2019.

Semana do Futuro do Marketing Digital e Vendas

Assista aos webinars e fique por dentro das tendências e mudanças do Marketing para 2020 e seu impacto sobre Vendas.

  • Sua inscrição é gratuita
  • Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade.

* Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

O que é a era dos likes

O palestrante, que já é veterano no evento, começou explicando o que é a era dos likes.

"É a era da exposição", diz. "Embora sejamos egocêntricos, no mundo de hoje podemos falar com milhares de pessoas com um dispositivo que está no nosso bolso". 

Mas por que a era dos likes está acabando?

Para entender isso, podemos olhar para o case do Facebook. Mark Zuckerberg disse em 2010 que a era da privacidade tinha acabado. Mas, de lá para cá, muito aconteceu. O escândalo da Cambridge Analytica, por exemplo, quando a empresa usou dados do Facebook para influenciar eleições, aumentou as discussões sobre como os dados dos usuários são usados. Foi algo que contribuiu para mudar o discurso. "Talvez o futuro agora seja privacidade", diz o especialista.

Acompanhando esse movimento, as curtidas estão sumindo das plataformas, como o que aconteceu no Instagram. No Facebook, também estão sendo feitos testes para acabar com os likes. E o popular WhatsApp nunca nem chegou a ter essa função.

Isso provoca algumas mudanças: se não tem o like, qual a necessidade de forçar essa interação fazendo posts públicos? Por isso, muitas discussões estão mudando para o privado, tanto nas conversas entre pessoas, quanto em grupos fechados.

E como isso afeta a maneira como você faz marketing? 

É possível fazer um contraponto entre o que Interney chama de marketing digital tradicional e o novo marketing digital. O primeiro é aquele em que você coleta os dados, oferece materiais, qualifica os Leads e entra em contato para vender — um processo que pode levar dias. 

Já no segundo, você qualifica os visitantes e conversa com eles usando chatbots, por exemplo. Algumas marcas já têm comunidades bem estabelecidas, para falar com os fãs da marca. Nessas plataformas é possível criar um relacionamento mais próximo com as pessoas. Mas é preciso saber ouvir e contribuir para o debate.

A era da voz

Você sabia que 34% dos brasileiros já usam comandos por voz? O português é o segundo idioma usando o formato. Nos Estados Unidos, 30% das residências já contam com assistente de voz, como Alexa, Google Assistant e Siri. Para Interney, as pessoas já vivem num mundo de voz, essa é a nossa interface natural.

edney interney rd summit 2019

Por que esse crescimento? Primeiro, porque a voz permite ficar com as mãos livres. Além disso, permite comandar casas inteligentes. A voz também é mais inclusiva para pessoas com deficiência visual, com dificuldades motoras ou analfabetos (tanto adultos quanto crianças). 

E mais: é mais socialmente aceita, pois não é preciso parar tudo para fazer a pesquisa por texto. Quando se fala com o assistente de voz, todos ouvem, tanto a pergunta quanto a resposta. É algo que integra as pessoas.

Como otimizar conteúdos para o formato? "Nesse mundo baseado em voz, é preciso pensar em conteúdo como serviço. Que problema você resolve para o usuário? É preciso entender o que o usuário está buscando", conclui.

Mônica Custódio

Mônica Custódio

Quem escreveu este post

Oi! Eu sou jornalista e já trabalhei com jornal impresso, assessoria de imprensa e revisão de textos. Desde 2016, estou me aventurando pelo mundo do marketing digital. :)

Veja também

Notícias
Prêmio Agências de Resultados 2020: Conheça os finalistas das categorias
Notícias
Resultados do estudo Panorama PMEs: 85,6% concordam que o Marketing de Conteúdo será mais representativo na retomada
Notícias
RD Summit 2023: confira o resumo e principais insights do primeiro dia do evento