Plano de Desenvolvimento Individual: conheça o PDI, metodologia para potencializar vida e carreira

Entenda o que é um Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) e como ele pode ser usado para potencializar carreiras

Larissa Lima
Larissa Lima24 de janeiro de 2023
Lançamento dos Panoramas de Vendas 2024

Estar mais tempo onde te energiza. Esse é o principal benefício da criação de um Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) para cumprimento de objetivos de vida e carreira. Nas áreas de Marketing e Vendas, o recurso tem sido utilizado para promover o engajamento e reconhecimento de talentos que apoiam o crescimento da empresa. 

Resolvi reunir um guia completo de como extrair o máximo dessa ferramenta para promover o ganha-ganha entre colaboradores e empresa. 

O que é um PDI?

O plano de desenvolvimento individual (PDI) é uma ferramenta de autoconhecimento aplicada por profissionais de RH, lideranças, coaches ou especialistas com objetivo de promover a alta performance e o senso de propósito na vida e/ou carreira. 

Serve para estabelecer um planejamento mais adequado para o alcance de determinado objetivo, seja uma mudança de carreira, crescimento na área ou conquista de novas posições. 

Nas áreas de Marketing e Vendas, o PDI é fundamental para promover o engajamento do time e sua conexão com as metas da empresa. Entendido como um instrumento de protagonismo da pessoa colaboradora, o plano de desenvolvimento individual quando feito dentro da organização costuma incluir as habilidades e competências necessárias para gerar o impacto esperado no time. 

Dessa maneira, cria-se uma aliança de ganho mútuo baseada na transparência de intenções. De um lado, a empresa deixa de ser apenas pagadora de salário e passa a ser palco de desenvolvimento de carreira. 

Do outro, o especialista deixa de atuar como receptor de pedidos e contribui de maneira mais direcionada para o sucesso da organização. Neste cenário, adotado por empresas de alto crescimento, cria-se uma espécie de contrato informal que considera, inclusive, a necessidade de que o PDI precise ser concluído com a saída para outra empresa. 

RD Station

Marketing Digital na prática e sem enrolação

Mais de 200 mil pessoas já se desenvolveram com os cursos da RD University.

  • Sua inscrição é gratuita
  • Ao preencher o formulário, concordo * em receber comunicações de acordo com meus interesses.
  • Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de privacidade.

* Você pode alterar suas permissões de comunicação a qualquer tempo.

Como funciona um Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)?

Existem diversos modelos para se criar um PDI. Todos consideram uma etapa de autoconhecimento para identificar as potências e melhorias desejadas pelo dono do plano. 

Com o apoio de um olhar externo, o especialista atua numa busca pela intersecção ideal do que é capaz de gerar fonte de alegria, liberdade financeira e satisfação em determinado espaço de tempo. 

Sim, a base do PDI é a criação de um cronograma que estabelece as atividades a serem cumpridas para alcançar o objetivo de desenvolvimento em determinado prazo. 

Aqui na consultoria GPD, existem pelo menos 3 modelos de PDI. Eles variam de acordo com o momento de carreira do profissional:

  • desejo migrar para Marketing de Performance (1);
  • quero crescer na empresa atual (2);
  • quero mudar de empresa (3). 

Nesse sentido, a construção de um PDI considera a visão de autoconhecimento, mapa de oportunidades de carreira, mapa de vagas para aplicação ou posições existentes na empresa atual e, por fim, o plano de ação para o objetivo desejado.  

Como elaborar um PDI?

Aqui vou compartilhar as premissas da metodologia que utilizo na mentoria para profissionais de Marketing Digital que desejam aumentar sua performance dentro da empresa ou realizar transição para novas posições. 

Foi ela que me ajudou a reter e promover talentos que hoje impactam empresas de tecnologia dentro e fora do Brasil. 

Nesse sentido, o PDI considera a união de ferramentas como teste comportamental, Ikigai, Conheça seu time, feedbacks 360 e as OKRs da empresa. Se você não possui experiência com a aplicação de PDI, considere responder:

  • O que eu amo fazer?
  • O que as pessoas dizem que eu faço bem?
  • O que o mercado paga pra que eu resolva?

Coloque cada pergunta numa coluna e preencha com as informações coletadas em conversas com amigos, elogios de colegas de trabalho e vagas encontradas no mercado, respectivamente. 

Caso seja um PDI dentro da empresa, substitua as vagas no mercado pelas responsabilidades da sua atual função e reflita sobre os pontos de convergência entre as 3 colunas. 

É daí que encontramos o chamado IKIGAI, uma zona de potência que costuma gerar satisfação pessoal e reconhecimento profissional. 

Identificada a sua potência, é hora de apontar como deseja exercê-la no dia a dia. Para isso, crie uma lista de ações que precisa realizar para que sua rotina tenha mais tempo dentro da sua zona de potência e, pelo menos, 30% em zona de desenvolvimento. 

Isso irá reduzir a ansiedade, stress, insegurança e procrastinação que percebemos quando realizamos algo de que não gostamos ou inédito. 

Depois é hora de incluir o prazo para realização das atividades listadas e a maneira em que irá acompanhar o cumprimento deste cronograma e seus resultados. 

No ambiente de trabalho, costuma-se usar as 1-1 com lideranças para tirar dúvidas sobre a realização do PDI e alinhamento dele com a performance da área. Fora da empresa, o plano é acompanhado por coaches e especialistas de desenvolvimento em encontros recorrentes e pré-agendados. 

Mulher fazendo um PDI - Plano de desenvolvimento individual

Quais os desafios para construir um Plano de Desenvolvimento Individual?

Autoconhecimento é, sem dúvida, o principal desafio para construir um plano de desenvolvimento individual. Isso porque o mercado de trabalho está acostumado a desenvolver habilidades técnicas (hard skills) que estão relacionadas a atividades imediatas da prestação de serviço: redação, design, criação de anúncios, mensuração de resultados e por aí vai. 

Poucas são as empresas que têm clareza de seu código de cultura e da importância de fazer a seleção e desenvolvimento de pessoas que estejam alinhadas com seus valores. 

Sabendo dessa fragilidade no recrutamento e seleção de talentos, é comum que profissionais com lideranças imaturas não reconheçam o papel transformador de investir nas habilidades comportamentais.

Afinal, é o alinhamento cultural que gera motivação no trabalho e a resiliência nas intempéries. As chamadas soft skills refletem, portanto, a maneira como um profissional lida com o outro e consigo mesmo. 

Segundo estudo publicado na Forbes Brasil , as 10 habilidades mais valorizadas por recrutadores são:

1 - Integridade e ética;

2 - Empatia;

3 - Adaptabilidade;

4 - Automotivação;

5 - Inteligência emocional;

6 - Aprendizado contínuo;

7 - Ser mais humano do que profissional.

Qual a importância de metas e prazos no PDI?

Para manter-se atento ao cumprimento do PDI, o profissional deve estabelecer rituais de acompanhamento junto com sua liderança para identificar eventuais bloqueios ou mudança de rota nas atividades que levem ao objetivo traçado. 

Por isso, é tão importante estabelecer um objetivo com meta SMART (específica, mensurável, atingível, relevante e temporal) e contar com esse olhar externo para ajudar a tirar o plano do papel. 

Quando criado dentro do ambiente corporativo, a liderança costuma utilizar o PDI como forma de acompanhamento que antecede os momentos de avaliação e as janelas seguintes de reconhecimento e promoção. 

Uma forma democrática e transparente de estimular o ganha-ganha dentro da companhia e a visibilidade sobre o impacto gerado. 

Como usar um Plano de Desenvolvimento na vida e carreira?

Estar mais tempo onde te energiza. Esse é o principal benefício da criação de um PDI para desenvolvimento na vida e carreira. Ainda mais agora em que os profissionais da indústria do conhecimento revisam sua forma de trabalho e as relações com bem-estar e saúde mental. 

As empresas, por esse motivo, enfrentam taxas cada vez maiores de rotatividade voluntária e investigam novas formas de contribuir com a retenção e engajamento de quem fica. 

Diante dessa realidade, cada vez mais presente na relação com times da geração Z, o PDI passa a ser instrumento de colaboração entre as partes. 

É o que indica o livro "The Alliance: Managing Talent in the Networked Age" de Reid Hoffman. No best seller, o cofundador do LinkedIn propõe que as empresas deixem de considerar o colaborador como família e o trate como um aliado/parceiro enquanto houver interesse mútuo de desenvolvimento. 

Essa mentalidade considera que os funcionários ajudam a transformar a empresa para o futuro enquanto as empresas ajudam a transformar suas carreiras e vida a longo prazo. 

Modelo de PDI

Quer começar já o seu plano de desenvolvimento individual? Conheça o modelo de 1-1 "Conheça seu time" da Consultoria GPD que foi o pontapé inicial para programas realizados por profissionais que hoje atuam como lideranças em empresas de tecnologia, agências de Marketing e times internos de Marketing Digital como RD Station, Itaú, Globo e Gympass.

Larissa Lima

Larissa Lima

Veja também

Marketing
31 tipos de post que você pode produzir para seu blog
Marketing
Velocidade do site: aprenda a testar e deixar sua página mais rápida ⚡
Marketing
Os 4 Cs do growth hacking, por Anderson Palma