Como montar uma loja virtual: etapas e passo a passo

Descubra os segredos para montar uma loja virtual de sucesso e colocar sua empresa no mercado multimilionário do Ecommerce.

Leandro Goulart
Leandro Goulart28 de maio de 2024
Panoramas de Marketing e Vendas 2024

O Ecommerce brasileiro movimenta milhões por meio das vendas online. Segundo dados da ABCOMM, em 2023, o setor faturou 185 milhões de reais. E para chegar a este montante, 87 milhões de consumidores efetuaram 395 milhões de reais de compras online ao longo de todo o ano. 

Estes números enchem os olhos de qualquer empreendedor, e por isso mesmo diversas pessoas querem saber como montar uma loja virtual. Mas não para por aí: o cenário se torna ainda mais atraente quando notamos que os índices seguem crescendo ano a ano. Isto porque, no último, ano o crescimento foi de 10%.

A expectativa é de que as vendas online sigam crescendo e sendo cada vez mais representativas. Para efeito de comparação, o Ecommerce representa cerca de 16% das vendas do varejo nos Estados Unidos. Enquanto isso, no Brasil, a participação é de metade desse número.  

Meu nome é Leandro Goulart e sou CEO da Goo Resultados. Preparei este conteúdo para que você chegue ao final sabendo quais são as principais etapas para ter a sua loja virtual. Então, vamos lá? Acompanhe o artigo e saiba como participar deste mercado crescente e faturar ainda mais com uma loja virtual.

Como montar uma loja virtual: passo a passo

Um dos pontos principais para montar uma loja virtual de sucesso é iniciar com um ótimo planejamento. Para isso, algumas ações são fundamentais. É muito importante que você não pule etapas, pois cada passo importa.

A seguir, vamos falar sobre cada um desses pontos!

Analisar produtos mais vendidos

Compreender o que está fazendo sucesso no mercado é muito importante, concorda? O comportamento de compras online não reflete, necessariamente, o comportamento no seu ponto de venda físico.

Portanto, é importante identificar o que realmente está atualmente em alta, para compreender o quão competitivo você consegue ser. A boa notícia é que o início dessa análise pode ser bastante prático.

O Mercado Livre, por exemplo, tem uma busca chamada Tendências de pesquisa em Mercado Livre, que mostra as buscas que mais tiveram destaque nos últimos dias. Essa é uma ótima forma de começar a sua pesquisa.

Tendências de pesquisa em Mercado Livre que trazem insights sobre como montar uma loja virtual

A Amazon também disponibiliza um recurso semelhante chamado Mais Vendidos, listando por categorias os produtos mais populares com base nas vendas da plataforma. Veja a seguir:

Analisar concorrentes

Agora que você já identificou os produtos mais vendidos, é hora de identificar concorrentes. Para isso, uma busca no Google pelos produtos que você selecionou para vender já trará alguns resultados. Separe os que aparecem entre os melhores posicionados, pois são os que devem ser mais competitivos. 

No resultado de busca do Google, também é possível acessar o Google Ads Transparency.
Por meio dessa ferramenta, você vê outros anúncios da empresa responsável pelos produtos mais vendidos. Dessa forma, você consegue entender alguns fatores, como:

  • produtos de destaque
  • tipo de comunicação
  • tipos de anúncios

No Facebook, também é possível dar essa espiadinha na concorrência. Para isso, acesse a Biblioteca de Anúncios do Meta. Em seguida, digite o nome do concorrente da forma que ele utiliza no Instagram ou Facebook para que você consiga visualizar o que ele tem anunciado por lá.

Agora, vamos avançar nesta jornada sobre como montar uma loja virtual falando agora da importância de definir bem o público ideal. 

Defina sua persona

Conhecer bem o seu público ideal é fundamental em qualquer estratégia de Marketing e Vendas. E é claro que não seria diferente ao montar a sua loja virtual.

O conceito de persona não é tão difundido quanto o conceito de público-alvo, e é comum que haja confusão entre essas duas propostas. Por isso, vamos entender um pouco mais sobre o que deve ser uma persona antes de trazer dicas essenciais para construir as suas.

De um lado, o público-alvo é uma representação generalizada e abrangente do grupo para o qual você deve direcionar seus esforços de venda. De outro, a persona é um compilado de informações muito mais específicas, humanizadas e personalizadas. 

Para se ter uma ideia, costumamos destacar até mesmo o que uma persona pensa ou sente — por meio de pesquisas com clientes e o mercado. Muitas vezes, essas informações podem nem estar diretamente relacionadas a um produto ou solução. No entanto, nos ajudam a ajustar a parte estratégica de forma muito mais cativante para esse grupo de pessoas no futuro. 

Deu para entender melhor como funciona a construção do seu público ideal?

📖 Leia também: Persona: o que é, como definir e por que criar uma para sua empresa [+ exemplos práticos e um gerador]

Meios de pagamento

Etapa super importante! Em um primeiro momento, você pode pensar que basta escolher os tipos de pagamentos digital, como cartão de crédito, boleto e pix. Mas, há muito mais a ser feito.

Sua primeira decisão é escolher se você pretende utilizar uma adquirente (como a Rede, Visa e outros) ou utilizar gateways de pagamento (como Mercado Pago, Pag Seguro e TOTVS Pagamento Digital). 

A grande diferença é que, ao escolher um adquirente, você também precisará de soluções antifraude para evitar que golpistas comprem com cartões clonados ou roubados. Mas, se você optar por gateways de pagamento, normalmente, eles já incluem este serviço e garantem a venda.

Portanto, é preciso levantar os custos e taxas operacionais para chegar no que é mais interessante para a sua empresa. 

Logística

Esse é outro ponto que pode ser mais prático ou oferecer uma certa complexidade a depender do seu produto. Primeiro, analise as necessidades de embalagem e preparo — produtos mais sensíveis podem exigir cuidados especiais! Além disso, você pode optar por fazer um contrato direto com os Correios ou escolher uma ou mais transportadoras.

Também existe a opção de contar com gateways de logística — plataformas que integram com diversas transportadoras e com os correios. A vantagem é simplificar a operação e possibilitar custos menores de envio. 

Existe, ainda, a opção de terceirizar toda a sua logística por meio de uma solução de fulfillment — serviço em que todo o estoque fica armazenado na empresa contratada. Dessa forma, a cada pedido recebido, a operação de separar, embalar e despachar passa a ser terceirizada. Pode ser uma solução mais complexa para novas lojas virtuais, porém, é importante que você saiba que essa opção existe.

Informações de produtos

Uma loja virtual precisa contar com uma excelente apresentação. Portanto, você precisa de fotos e vídeos de qualidade. Para isso, faça vídeos demonstrando o uso e benefícios do produto e use imagens pensando em como elas ajudam o cliente a comprar.

Quanto mais personalizados forem esses conteúdos, mais podem ajudar a criar autoridade para a sua loja virtual frente aos concorrentes. Afinal, muitos usam apenas as imagens padrão, oferecidas pelo fornecedor. 

Outro ponto importante é o título e a descrição dos produtos. Isto porque o título impacta no posicionamento de busca orgânica, na pesquisa dentro do próprio site e também nos seus anúncios. Assim, seja objetivo, evite excesso de informações e procure nomear com o termo mais utilizado pelos seus clientes.

A descrição é igualmente importante, pois é onde o cliente irá se informar e tirar todas as dúvidas. Portanto, não economize tempo. Dedique-se em uma descrição completa, envolvente e original — nada de sair copiando descrição de concorrentes ou fornecedores! 

Marketing

Para atrair novos clientes, se relacionar com eles e continuar vendendo além da primeira compra, também é fundamental contar com uma solução robusta de tecnologia para Marketing. Isto porque, para atrair e converter clientes, você vai precisar:

  • disparar emails em massa;
  • criar Landing Pages — ou páginas de destino;
  • enviar mensagens de acordo com o comportamento do Lead;
  • fazer a gestão de ativos de Marketing, como Pop-ups e formulários de conversão.

Portanto, uma ferramenta de Automação de Marketing que permite automatizar fluxos de comunicação, gerir Leads e acompanhar resultados pode ser o que vai diferenciar seu negócio dos demais ecommerces. E, dessa forma, você ainda consegue ser mais produtivo e eficiente.

Para levar isso para a prática, pesquise por ferramentas que atendam suas necessidades e tenham uma boa usabilidade. Você também pode contratar uma agência e terceirizar esse serviço.

📖 Veja também: Vendas Online: 6 melhores dicas para atrair clientes e ter sucesso

Qual a melhor plataforma para criar uma loja virtual?

O mercado online segue um processo constante de evolução em todas as frentes. Isso significa que existem concorrentes cada vez mais preparados e com recursos cada vez mais poderosos. Por isso, entrar nesse jogo para ter sucesso envolve também alguns investimentos. 

Nesse sentido, existem centenas de opções à disposição, desde plataformas gratuitas até aquelas que demandam altos investimentos desde o início. Em meio a tantas opções, podemos dividi-las em dois grandes grupos: plataformas open source e plataformas SAAS. Se você não entendeu, fique tranquilo. Vamos explicar a seguir!

Plataformas open source

São plataformas baseadas em tecnologias de código livre, ou seja, há acesso livre aos códigos de programação, sem custo adicional. Esse tipo de plataforma permite colocar em prática muitas personalizações, mas exige conhecimento especializado.

Por isso, embora a linguagem de programação esteja disponível sem custo, você terá que contratar uma pessoa ou uma empresa especializada. E isso tende a gerar custos bem elevados, tanto no desenvolvimento inicial, quanto na manutenção. 

Plataformas SAAS

As plataformas SaaS para Ecommerce são desenvolvidas por empresas que cobram pelo uso da solução. O mais comum é a cobrança de um valor fixo ou variável, somado a um percentual do faturamento.

Diante deste cenário, considerando o quão complexa é uma operação de Ecommerce, plataformas SAAS tendem a ser as mais interessantes. Afinal, você contrata algo testado, validado e em constante evolução.

Entre as plataformas SAAS, algumas opções se destacam. Uma delas é a Shopify, maior plataforma de Ecommerce do mundo, presente em mais de 170 países. Por meio de plataformas como essa, você pode criar sua própria loja virtual e aproveitar as funcionalidades disponibilizadas para vender mais.

exemplo de como montar uma loja virtual

Agora, se você busca um desenvolvimento profissional, com layout personalizado, funcionalidades avançadas e um apoio especializado desde o planejamento inicial de Marketing e vendas, até a criação e gestão de suas campanhas, conte com uma equipe dedicada e que fará um trabalho personalizado para a sua empresa.

Quanto investir no Marketing de uma loja virtual?

Com planejamento pronto, todos os pontos definidos e sua loja virtual começando a tomar forma, é hora de detalhar sua estratégia de Marketing. Isso significa definir metas e também investimentos. 

A dúvida sobre quanto investir é muito comum, mas a resposta é complexa e não há exatamente uma fórmula a ser seguida. No entanto, como em qualquer negócio, é fundamental ter clareza dos números do negócio, como margem de lucro, custos fixos e variáveis.

Em seguida, com base nesses dados, você vai definir uma meta de ROAS (Return on Advertising Spend). Essa é uma métrica que indica o retorno sobre o investimento em publicidade e é muito utilizada para avaliar investimento em Marketing para lojas virtuais. Se falamos que um canal está entregando ROAS de 10, por exemplo, isso significa que, para cada R$1,00 investido, voltam R$10,00 em vendas.

Portanto, com base nos números do negócio, defina o quanto retorno de investimento em anúncios é saudável para a sua empresa. Costumamos dizer que o ROAS ideal é aquele no qual você consegue vender o maior volume possível com lucratividade sustentável. 

É natural pensar que quanto maior o retorno sobre o investimento, melhor. No entanto, travar seus investimentos em uma meta de ROAS muito elevada fará com que suas campanhas não consigam evoluir de forma satisfatória. E isso impacta negativamente ou até mesmo impede o crescimento da sua loja virtual.

Por outro lado, as estratégias de Marketing precisam retornar um ROAS minimamente saudável. Caso contrário, quanto mais a sua empresa vender, maior será o prejuízo.

📖 Leia também: Como vender no Marketplace: tudo para começar a vender nas principais plataformas

Quais os próximos passos para sua loja virtual?

Percorremos uma jornada desde o planejamento inicial, passando por diversos aspectos técnicos e fechando com uma visão em relação aos investimentos. Agora, é preciso colocar em prática.

Apesar de todas as informações sobre como montar uma loja virtual, é comum que muitas dúvidas persistam. Embora haja realmente muito conhecimento disponível, o caminho pode parecer complexo demais para ser percorrido sozinho.

Por isso, entenda na prática como contar com o apoio de uma ferramenta de Automação de Marketing para vender mais no seu Ecommerce. Assista agora a essa demonstração gratuita do RD Station Marketing!

Entenda como montar uma loja virtual e divulgar seus produtos.
Leandro Goulart

Leandro Goulart

Quem escreveu este post

Leandro Goulart soma mais de 10 anos de experiência em Marketing e Vendas. É CEO da Goo Resultados, empresa especializada em estratégias digitais com foco em captação de leads e aumento de vendas. É Diamond Partner RD Station, vencedora do Prêmio Agência de Resultados como Melhor em RD Station Marketing, categoria Platinum e Diamond em 2021. Em 2023, foi vencedora no Prêmio Limitless como Melhor Em Sucesso do Cliente, categoria Diamond.

Veja também

Marketing
Posicionamento de marca: entenda o que é e qual a sua relevância estratégica
Marketing
Guia da produtividade no trabalho: técnicas e dicas para fazer mais em menos tempo
Marketing
Como criar um site no WordPress: veja dicas e um passo a passo para ter sua página na internet